29 de dez de 2014

[TAG]: O QUE DIZ O LIVRO?

Minha more-amiga "Fernanda Braga", do blog-parceiro Mato Por Livros, indicou-me nesta TAG, que por sinal, eu amei! Aliás, fiquei muito feliz em saber que o livro que saiu em sua TAG, foi o meu amado "Entre o Céu e o Inferno". Para conferir a resposta da Fê, basta clicar AQUI.

Pois bem, como o mês do meu aniversário é Fevereiro, o segundo livro que encontrei da esquerda para direita, é de uma amiga que admiro e gosto pacas, chamada Angie Stanley. Falando nisso, eu já pude apreciar quatro obras dela, e justamente esta, chamada  Uma Segunda Chance  é a que eu mais gosto. \o/ Portanto, confiram abaixo as minhas respostas, e também os respectivos blogs que indicarei:


1- Vá até a sua estante e escolha aleatoriamente uma das prateleiras. Agora, conte da esquerda para a direita o número de livros correspondente ao número do mês do seu aniversário. Qual o livro selecionado?



2- Abra o livro na página que corresponde ao dia do seu aniversário. 
Fotografe a página do livro.

Simone: Bom, como a página do dia do meu aniversário (10) está
em branco, resolvi postar a página 13, com o início do capítulo 1.

(clique em cima da imagem para maior resolução)

3- Leia a última frase da página e diga o que ela tem a ver com você.

— Você se recorda de como foi? — perguntou a morena em sua calça jeans justa, ajeitando uma camiseta com um par de asas douradas, com a palavra "diva" entre elas, a enfeitar-lhe o peito.

Simone: Ok! Eu senti certa familiaridade com as vestes da moçoila, apesar de curtir um pretinho básico. No entanto, como já li o livro e sei do que se trata a cena, acredito que ela não tem nada a ver comigo, mesmo porque não gosto de pensar em minha morte. rs


4- O que você acha da capa do livro?

Simone: Particularmente, foi uma das coisas que, logo de cara, me chamou atenção. E, por sinal, acho ela divina. Além do mais, ela condiz com a trama.


5- Se for um livro que você já leu, resuma em um parágrafo a história do livro. Caso não o tenha lido, quais são suas expectativas em relação a ele e por que o comprou?

Simone: O que dizer quando sua alma entra em pânico, vendo o seu próprio corpo dentro de um caixão? E, passando por tudo isso, você leva de brinde um anjo da guarda, que é a cópia da Beyoncé, e que lhe dá a chance de voltar a sua adolescência e consertar os erros do passado... Fazendo com que você tenha: Uma Segunda Chance. >>> O livro é sensacional e está incluso na minha lista dos "the best's". Ele foi um presente de aniversário, que a própria autora me enviou. P.S.: Obrigada, Angita!

6- Escolha uma música que você acha que parece com o livro.


Simone: HAHAHA! A Angie (assim como eu), é movida a música, e por sinal, sempre cria uma playlist para suas obras. Aliás, eu também tenho o cd-playlist deste livro, e posso dizer (...) É sensacional! Portanto, vou deixar uma das  canções citadas no enredo, que eu muito gosto, e que resolvi fazer um vídeo fan-made, logo que eu o li.



Indico essa TAG a todos os meus blog's amigos, e claro a quem mais quiser fazer:

• Tão Bom quanto Pizza 
Diário de Uma Contadora de Histórias 
Literatura é Arte 
Faces da Leitura 
Quid Pro Quo - Vanessa Araujo
• Blog Fundo Falso 
• Blog Letras & Livros 
• Thiago Assoni - Autor

Marjorie Estiano - Por Inteiro

Para quem ainda não sabe, a atriz/cantora "Marjorie Estiano", é minha inspiração para Alex de "Entre o Céu e o Inferno".  Aliás, ela lançou há pouco, seu novo cd, que têm como título: "OITO",  e que, por sinal, é um trabalho de sua autoria, produzido por ela mesma, que leva consigo poucas regravações.

Quando escutei algumas das canções, me apaixonei, pois é nítido o quão ela cresceu profissionalmente (como atriz e cantora), mostrando-se excelente em tudo o que faz, deixando-me ainda mais orgulhosa por tê-la como inspiração. Pois bem, o cd "Oito" é bem diferente de seus trabalhos antigos, como cantora (...) Ela amadureceu muito, mostrando que não é só de canções "teens" que se faz um espetáculo. Este é um trabalho primordial e meticuloso, feito de coração, e principalmente, com qualidade. P.S.: Parabéns, Marjorie. \o

Quero agradecer, antes de mais nada, minha amiga "Suelen Fernandes", do blog-parceiro "Era Uma Vez... O Livro", pois foi ela quem me deu o cd de presente de Natal. >>> P.S.: Obrigada, Su! De coração. Eu mega, ultra, max, blaster amei... Agora, deixarei abaixo, o primeiro hit divulgado, tempos atrás. Confiram:

P.S.: Vídeo editado por Simone Pesci.

28 de dez de 2014

"Profissionais da Literatura" (por Elaine Velasco)

Eu avistei este texto minutos atrás, e achei ele de grande valia! Aliás, quem o escreveu foi a "Elaine Velasco", que por sinal, também é autora e está neste meio, como autora/editora, já faz algum tempo , o que indica que ela manja bem dos paranauê (rs). Portanto, segue abaixo excelentes dicas. Confiram:

---------- xxx ----------

Eu já disse outras vezes aqui e também no blog A Arte de Escrever, que quando iniciei minha carreira literária, não tive orientação alguma e “caí de paraquedas” nesse meio. Foi à base de muitos tropeços, que aprendi o pouco que sei hoje sobre o “caminho das pedras” e que hoje compartilho com vocês. Uma das coisas que eu desconhecia e que teriam me ajudado muito no início, era a exata função dos profissionais da Literatura. Confesso que alguns deles, eu até desconhecia, outros, subestimava sua importância, mas creiam-me, se eu os tivesse buscado logo no começo, teria poupado muito dinheiro, tempo, energia e decepções...

É para evitar que outros autores iniciantes incorram nos mesmos erros, que hoje escrevo essa matéria pra vocês, apresentando e explicando as atribuições de cada profissional da Literatura que você vai encontrar no tão sonhado e árduo caminho da publicação do seu original.

Vamos lá: 

Consultor Literário: Este é o primeiro profissional que você deve procurar. Sei que muitos acham que ele é desnecessário, um gasto a mais. Mas acredite, o dinheiro que você gastar com ele, será muito bem empregado. O consultor literário é alguém que conhece o mercado literário, suas tendências e também técnicas de redação, construção de cenários, personagens e tramas. Sua função será avaliar seu original e indicar as mudanças necessárias, as melhorias a serem feitas, os pontos a serem reescritos, enfim, ele lhe indicará como melhorar sua obra, de forma clara, precisa e honesta. Não pense que amigos e conhecidos farão o mesmo por você, como eu disse, este é um PROFISSIONAL, com anos de experiência e que não dourará a pílula pra você, não temerá magoá-lo, algo extremamente necessário neste início, pois ele fará observações incisivas sobre seu texto, não para humilhá-lo nem denegri-lo, mas para aperfeiçoá-lo e ajudá-lo verdadeiramente, algo que por mais bem intencionados que seus amigos e familiares possam ser, ao dizer apenas que seu texto é maravilhoso e perfeito, eles não o farão. Existem também, os consultores literários que trabalham dentro das editoras, estes serão os responsáveis por “lapidar” seu texto após ele ter sido aceito, também pela construção de sinopses e textos de orelha e divulgação da obra.

Agente Literário: Pouco conhecido no Brasil, este é um profissional, que, quando realiza seu trabalho seriamente, pode fazer toda a diferença entre seu original ser aceito ou não pelas Editoras. O agente literário é alguém que possui contatos no meio literário e também vasto conhecimento acerca do mercado, das tendências e das editoras. Ele será o responsável por analisar seu original, analisar o potencial dele e encaminhá-lo às Editoras corretas, aquelas que possuem reais chances de aceita-lo. Ele é o famoso Q.I. (Quem Indica), através dele, você conseguira que seu original seja avaliado em Editoras, aonde ele seria simplesmente descartado sem sequer ser aberto, isso porque ele conhece as pessoas certas dentro das empresas e a forma de abordá-las. Por isso, repito, que todo dinheiro gasto com ele, pode ter certeza que será bem gasto.

Analista de originais: Este é o profissional responsável por receber e avaliar seu original quando ele chega à Editora. Jamais o confunda com um consultor literário ou com um editor. Sua função é simplesmente avaliar a obra e decidir se ela será publicada ou não. Não é função dele editar sua obra, menos ainda ficar indicando ao autor o que ele deve alterar em seu original. JAMAIS fique perguntando a ele porque sua obra foi recusada, ele não lhe deve explicações e nada que você diga vai fazê-lo mudar de ideia, para isso, contrate um CONSULTOR LITERÁRIO.


27 de dez de 2014

Texto: "Os bons morrem jovens" (por Simone Pesci)

Ela era uma garota como qualquer outra, com seus anseios, dúvidas, alegrias e tristezas , e estava no auge da sua juventude. Das vezes que eu a vi, no caso não foram poucas, trocamos alguns cumprimentos e algumas palavras. Às vezes, lado-a-lado, em um breve-raro-momento-qualquer, até tragávamos do mesmo narguile e bebíamos um gole do mesmo destilado, ainda trocando poucas palavras. E era nestes momentos que eu notava o seu semblante feliz, transmitindo uma alegria contagiante, para todos que estavam ao seu lado.

Seu jeito despojado de ser e sua voz em tom alto (às vezes um tanto quanto escandalosa), era sua marca registrada. Mas, ainda assim, o ponto do qual todos a conheciam, perdurava com seu jeito despojado e alegre, sempre transbordando alegria pela íris...

Eu não era sua amiga íntima, mas sim apenas uma vizinha-conhecida, com uma considerável diferença de idade e anseios, que volta-e-meia, sempre quando escutava ou até mesmo avistava "ela" ao lado da turma na rua, fumando seu arguile, tomando seu destilado, e falando bobeiras aleatórias, pensava:

 Como é bom ter esses momentos!

Eu, por sinal, já tive muitos deles...

Acontece que uma queda ocasionou uma batida de cabeça no chão, seguida de uma cirurgia. E, dessa forma, cruel e dilacerante, ela partiu desta vida, para um outro plano, deixando para trás "toda uma vida pra ser vivida"...

Quando eu soube, me revoltei com "o cara lá de cima"! Sei que muitos dizem:

 Essa foi a vontade de Deus!

Eu discordo deste pensamento, pois acredito que Deus não teria essa vontade (...) Ele não seria tão injusto e cruel em tirar a vida de uma pessoa tão jovem, apenas por tirar. Acredito que, de alguma forma, isto tinha que acontecer, e que, infelizmente, foi uma fatalidade. No entanto, de uma coisa eu tenho certeza, ele  o Deus  a recebeu de braços abertos. Não me perguntem como eu tenho certeza, só sei que tenho certeza.

Seu nome era "Pâmela" e o significado deste é:

ANALISE DA PRIMEIRA LETRA DO NOME: P

Em busca de paz a qualquer custo, mesmo que para isso tenha que brigar. Não é capaz sequer de se imaginar vivendo ao lado de pessoas que se relacionam na base de tapas e berros, mesmo que sejam elas sua mãe, seu pai ou o grande amor da sua vida. Além de paz, seu coração vive em busca de muito amor.

Eis que penso: ela encontrou a paz, e não precisou brigar por isto. Seu coração, hoje, perdura no amor. E isto, de certa forma, apesar de revoltante, é um consolo.

Por fim: como diria Renato Russo, na letra de uma de suas canções:

"É tão estranho;
Os bons morrem jovens;
Assim parece ser, quando me lembro de você;
Que acabou indo embora, cedo demais."

P.S.: Fica na PAZ, Pam!

26 de dez de 2014

[Falando em]: A Redenção de Gabriel — de Sylvain Reynard

Finalizar a leitura desta trilogia é algo um tanto difícil. Fico feliz e ao mesmo tempo dilacerada em não ter mais nada para ler sobre este casal, ou seja, o professor Gabriel e Julia.

Eu conheci essa trilogia através da minha amada amiga, a Juny Moura. E este, assim como os outros livros da trilogia, foram presentes dela. P.S: Agradeço os lindos presentes, Juju! S2 

Eu havia feito a resenha dos outros dois livros no meu blog antigo, que não mais existe  e assim como o antigo blog deletado, as resenhas também deixaram de existir. Agora confiram a sinopse, teaser trailer e resenha deste livro que fecha essa terceira trilogia que eu tanto amo, uma publicação da editora Sextante.


Sinopse: Depois do escândalo em que se viram envolvidos em Toronto, Gabriel e Julia se casaram e se mudaram para Massachusetts, onde ele dá aula na Universidade de Boston e Julia faz doutorado em Havard. Agora ela precisa provar que não vive à sombra do marido famoso. Mas parece que Gabriel não está pronto para ver a esposa caminhar com as próprias pernas. Além disso, as coisas entre eles não vão muito bem. Isso porque Gabriel está ansioso para ter um filho, mas Julia quer concluir o doutorado primeiro. Para ver realizado seu sonho de formar uma família, Gabriel terá que enfrentar fantasmas do passado. Será ela capaz de fazer isso? E será que a generosidade de Julia resistirá à ameaça de ver arruinada a carreira que ela tanto se esforçou para construir? "A Redenção de Gabriel" é o desfecho brilhante dessa trilogia que arrebatou leitores no mundo inteiro.



Este é o desfecho final de uma das trilogias que eu mais amo. S2 Eu avistei muitos comentários negativos, o que me leva a crer o quão as pessoas estão acostumadas a lerem conteúdos sem conteúdo, afinal, por mais uma vez pude conferir um texto muito bem escrito e envolvente, com cenas eróticas de perder o fôlego. Trata-se de um drama/sensual e não de um enredo HOT como foi divulgado desde os primórdios, quando seu primeiro volume foi lançado
  Quero plantar meu filho aqui.
As palavras dele ecoaram na clareira e Julia ficou petrificada.
  O quê?
  Quero ter um filho com você.
Ela prendeu a respiração.
  Tão cedo?
O polegar dele percorreu a sua pele.
Nunca sabemos quanto tempo nos resta.
Julia pensou em Grace, a mãe adotiva de Gabriel, e em sua própria mãe, Sharon. Ambas haviam morrido cedo, mas sob circunstâncias muito diferentes.
  Dante perdeu Beatriz quando ela tinha 24 anos   prosseguiu ele.   Perder você seria devastador.
Julia ergueu a mão para tocar a covinha no queixo dele.
  Nada dessa conversa mórbida. Não aqui, depois de celebrarmos a vida e o amor.  (Livro: A Redenção de Gabriel, Pág.16)

Neste desfecho final, temos Gabriel sendo ele mesmo, um homem que sofre com feridas do passado, e que devido os seus tormentos, continua errando e agindo como sempre, deixando sua amada Julia transtornada. No entanto, agora ela tornou-se uma mulher mais experiente: casada, formada, em busca de seus sonhos, querendo não viver às sombras  do marido, Julia tornou-se uma mulher decidida, ansiando concluir seu doutorado. Porém, Gabriel anseia em ser pai, e para isso, ela terá de se privar deste seu sonho tão almejado em continuar com seus estudos. 
Na verdade, ela sofre, pois também quer ser mãe (mesmo tendo medo deste desafio). Ela sabe que um filho curaria ambas feridas, ou seja, as feridas de Gabriel e as dela. Desta forma, dentre os percalços pelos quais passam, muitas coisas acontecem: algumas agradáveis, outras nem tanto.
Só uma dose. É tudo que preciso.
Gabriel pensou em Julianne, deitada em sua cama no andar de cima.  Ela dormia tranquilamente, sem saber dos demônios que o atormentavam. As mãos dele tremiam de desejo.
Ele se apressou em repassar na mente os doze passos dos Narcóticos Anônimos, concentrando-se no passo número dois.
Viemos acreditar que um Poder superior a nós mesmos poderia devolver-nos a sanidade.
Ajude-me Deus.
Por favor. (Livro: A Redenção de Gabriel, Pág.172)

Julia é uma guerreira, pois além de bondosa e paciente, conduz um dos momentos mais críticos de Gabriel, quando ele têm uma terrível recaída, ansiando por álcool e drogas, tão quanto em seu passado. Mas o AMOR opera milagres 
 e por mais uma vez Julia o salva.


  Jamais encontrarei a felicidade sem você.

  Você encontrou a paz sem mim   sussurrou.   Em Assis. Pode viver sem a minha presença. Nós dois sabemos disso.
Ele espalmou a mão sobre a barriga de Julia, seus dedos acariciando a pele nua da esposa.
  Como um homem pode viver sem o seu coração? (Livro: A Redenção de Gabriel - Pág.271)

DEUS! Como eu amo essa trilogia... S2

Eu me emocionei pacas e cheguei a perder o fôlego nos capítulos finais. E sem sombra de dúvidas indico estes livros para os 'apreciadores de um belíssimo e bem estruturado enredo'. Afinal de contas, nele podemos ter longas horas de um texto bem escrito (e traduzido), uma história com conteúdo do início ao fim, desde o primeiro ao último livro, com personagens entorpecentes e reais, que vivem seus tormentos e que, por fim, tornam-se a salvação um do outro.

A única coisa que me incomodou neste último livro, foi o trecho em que Júlia dá sua primeira palestra, pois foi tudo muito detalhado, chegando a deixar o texto insosso... Eu prefiro me lembrar da palestra do primeiro livro, onde há um embate  verbal e super instigante entre Julia e Gabriel. rs

O livro é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão, sua capa condiz com o enredo e está bem  bonita. No entanto, eu ainda prefiro as capas dos dois primeiros livros, em especial a do primeiro livro; sua diagramação é simples,  porém, os capítulos não são divididos em páginas, algo que também me incomodou, pois eles são corriqueiros, inciando assim que termina um capítulo. Se estou Feliz? SIM! Estou muito feliz, pois não há nada melhor que concluir uma trilogia satisfeita com o resultado. Se estou triste? SIM! Já estou morta de saudades de Gabriel e Julia, e também de todos os outros personagens e cenários. Por fim, obrigada, Sylvain Reynard! S2 Você nos presenteou com um maravilhoso enredo. Desde o primeiro livro já me tornei sua eterna fã. \o E pra você eu também digo:   Eu leria até mesmo sua lista de compras.
  Eis que surge minha bem-aventurança...
P.S: Estou numa baita ressaca literária. Tenho dito!

Livro: A Redenção de Gabriel
Autor: Sylvain Reynard
Gênero: Ficção Canadense
Editora: Sextante
Ano: 2014 (no Brasil)
Páginas: 427

25 de dez de 2014

HOHOHO

(clique em cima da imagem para maior resolução)

23 de dez de 2014

Poema: "Soneto 11" (Luís de Camões)

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder; ]

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.
Mas como causar pode seu favor Nos corações humanos amizade, Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

(Poema: Soneto 11 - Luís de Camões)

19 de dez de 2014

#QUOTE #EOCEOI

Max e eu... Juntos! Pensava a todo instante.

(clique em cima da imagem para maior resolução)


Aquele garoto que eu conhecia tão bem, protetor e tímido, voltara para minha vida depois de anos, tão ousado e tão homem, deixando para trás o adolescente sem atitude. Eu estava amando-o e admirava-o sobre aquela cama, apenas com um lençol branco sobre parte de seu corpo. Era tentador ter uma visão como aquela, e especialmente lembrar-me de tudo o que fizemos horas atrás. Que pegada foi aquela? Era mágica a lembrança de seu toque, tão voraz e apaixonado. Seus lábios percorrendo cada centímetro de meu corpo... Ele dentro de mim com tanta virilidade...

— Amo Você!

Aquela declaração encheu-me de esperanças. Mas ainda com os pensamentos um tanto confusos, pensei em todas as coisas que omitia dele. Eu tinha um grande e tortuoso segredo que não fora revelado a ninguém. Um segredo que me condenava. E se ele soubesse do cruel segredo? Será que me perdoaria? Não que eu estivesse arrependida de ter feito o que fiz um dia. Na verdade, eu até me orgulhava, mesmo sabendo que aquele era um pecado mortal que me condenaria ao purgatório no dia do juízo final. Eu queria contar todos os meus medos e assombrações, entretanto, só de pensar que ele poderia ficar contra tudo de ruim que pratiquei, e até mesmo me odiar, meu coração dilacerava-se. 

(Livro: Entre o Céu e o Inferno - Cap.17)

Crônica: "Dona Lengalenga"! (por EP.Gheramer)

O que vou contar aconteceu lá por volta do outono e foi visto com estes olhos que um dia a terra há de comer; se tivessem me contado, eu não acreditaria.

O caso aconteceu com Dona História que, por ser sem graça e não despertar a atenção de ninguém, tinha o apelido de Lengalenga.

Dona Lengalenga era como tantas outras histórias que andam por aí, de boca em boca, sempre igual. Um dia, suas coronárias silabáticas não aguentaram mais e ela sofreu um ataque de desatenção. Levada às pressas para o Hospital Literário, o mais afamado da cidade, foi atendida pela doutora professora Dalva que imediatamente a encaminhou para a UTI. Depois de um minucioso exame foi constatado que era caso de cirurgia.

Os parentes foram procurados para a necessária autorização, mas não foram encontrados. Sem perder tempo, dada à gravidade do quadro clínico-literário, a capaz cirurgiã assumiu a responsabilidade e iniciou-se a intervenção cirúrgica, baseada na técnica mundialmente conhecida como Tratamento Verbal; poucos tinham a capacidade de fazer uso dela.

A professora mexeu em quase tudo, ou melhor, segundo seu estilo de operar, ela colocou uma ordem no relacionamento entre as partes que compunham Dona Lengalenga e que era responsável por aquele seu aspeto comum e desinteressante. Assim, usando sempre o tratamento verbal e o seu estilo individual, a doutora deu o último ponto na paciente, encerrando a cirurgia.

Depois do tempo necessário, finalmente chegou o momento de retirar os curativos. Presentes no quarto, somente a equipe do hospital; os parentes não quiseram presenciar e aguardavam no corredor; de vez em quando, um rosto chegava para espiar através da janelinha de vidro na porta. Olhar por olhar.

Porém, à medida que os curativos eram retirados, um a um, percebeu-se uma agitação entre os parentes do lado de fora que queriam olhar, todos ao mesmo tempo, pela pequena janelinha de vidro. O motivo de tal curiosidade era a beleza de Dona Lengalenga. Depois de retirados todos os curativos, o que surgiu não era mais a Dona História e muito menos a Lengalenga – era a beleza personificada numa obra de arte, num discurso visual modernista! Alguns, dentre os entendidos, chegaram a levantar a hipótese do surgimento de um novo estilo de época, tal fora a mudança que se operara em Dona História Sem Graça.

Hoje, graças ao seu enredo, resultado do entrelaçamento adequado de suas partes, ela aproveitou e mudou também de nome, passou a ser chamada de Obra Literária - Literária, para os íntimos.

Eu vi com estes olhos que a terra há de comer; se tivessem me contado, eu não acreditaria. 

(EP.Gheramer)

Via: 1001 Crônicas Brasileiras

18 de dez de 2014

#EOCEOI - "Melhor Livro Nacional e Melhor Personagem Masculino do Ano"

Felicidade me define! \o/ Na verdade, senti-me honrada quando meu amado "Entre o Céu e o Inferno" foi indicado em três categorias: melhor livro nacional, melhor personagem feminino (Alex) e melhor personagem masculino (Juan) do ano, no site parceiro "Tão Bom Quanto Pizza". E minha surpresa maior foi saber que em duas dessas categorias ele ganhou. Sendo elas: livro nacional e personagem masculino do ano.

(clique em cima da imagem para maior resolução)

**Para conferir o resultado, clique AQUI.

Livro nacional do ano: Entre o Céu e o Inferno (41,46%)
Personagem masculino do ano: Juan Medeiros - O Inferno (34,15%)

Para uma publicação independente (sem editora), com apenas 160 livros físicos rodados, sem estar em qualquer outro meio (Amazon, entre outros...), isso é uma mega conquista! Ano passado, nesta época, eu ainda trabalhava em sua revisão, sabia que em algum momento de 2014 o publicaria (...) Tive a oportunidade, graças a Nanda Gomes - Tribo das Letras, de participar da Bienal 2014 -, e, por fim, fui indicada por este amado blog/site parceiro, da minha more Juliana Gomes. Quero agradecer a todos àqueles que dedicaram parte do seu tempo votando (...) Se não fosse vocês #EOCEOI não teria chegado até aqui. Também parabenizo a todos os outros títulos (e autores) que estavam concorrendo, pois estar incluso numa lista como esta já é uma grande conquista. >>> P.S.: Obrigada! Obrigada! Obrigada! Não sei descrever em palavras a imensidão do meu apreço e gratidão por todos vocês. \o/ \o/ \o/

14 de dez de 2014

[Falando em]: A Ladra de Corpos — de Angie Stanley

Resenhar mais um título desta que, além de amiga, é uma das autoras 'Made in Brazil' que mais admiro, é SENSACIONAL! Aliás, eu ganhei este livro meses atrás, da própria autora, que tornou-se uma amiga querida, sempre irradiando simpatia e alegria, além de mandar bem pacas em seus textos. E por isso, por mais uma vez, digo de peito aberto e pra todo mundo ouvir:  Eu leria até mesmo a sua lista de compras! \o Portanto, confiram agora a sinopse, book trailer que eu tive o prazer em editar e também a resenha de "A Ladra de Corpos".



Sinopse: O que você faria se pudesse voltar à sua adolescência? Um novo corpo, uma nova vida... uma Segunda Chance? Essa era uma pergunta que Marina nunca se fizera. Apesar de todo seu passado sombrio, ela estava satisfeita com a morna realidade. Ela sim... mas nunca Bete... E a traquinagem da vez seria feita por ela, melhor amiga de Marina, uma excelente Feiticeira: elas trocariam de corpos com duas adolescentes que ganharam passes Vips para conhecer o grande ídolo Jared Lettus. Mas... O que começou como uma brincadeira, que tomaria somente uma noite da vida de todas as mulheres envolvidas naquilo, acabou se transformando em um pesadelo para Marina. Sua amiga, Bete, se recusa a desfazer a troca e pretende agora transmutar de corpo para corpo, se tornando assim, eterna. Jovem e SAUDÁVEL para sempre... O que mais poderia lhe acontecer? Aconteceu! Marina se apaixonou por Brendon (um desconcertante rapaz de boca sensual, mais jovem que ela) e agora uma outra pergunta não lhe sai da cabeça: Pode a diferença de idade pôr fim a um grande amor? O que ela fará? Viverá para sempre no corpo da mimada Stefany (que nunca deu valor à vida que tinha) e desfrutará de tudo o que nunca teve: uma família, um grande amor, amigas de verdade, dinheiro, oportunidades... ou volta à sua vida sofrida e resgata sua irmã caçula que é excepcional, e que, sem seus cuidados, foi internada numa instituição? Torça por nossa misteriosa heroína e seus fiéis amigos, Ryan e Astrid, nessa luta contra o tempo e divirta-se com a maravilhosa e hilária Família Nordestina de Dona Chica, que além de Javali (o cachorro que solta puns violentos), ainda conta com Tio Sivirino, o espírito do tio de Ryan que habita o Fiat 147 amarelo ovo do sobrinho... o carro mais fedido, temperamental e inesquecível do planeta!


P.S: Vídeo editado por Simone Pesci

Trata-se de um enredo ficção-fantasia, bem construído, instigante e que mesmo com suas 585 páginas, faz o leitor cair no riso. Aliás, o leitor pode até se assustar com a quantidade de páginas e até pensar:  Poxa, isso deve ser cansativo! Mas posso afirmar que em momento algum eu cai no tédio. Pelo contrário, sempre entrei de coração em seus enredos  e digo mais, nem hesito em ler algum texto escrito por ela, pois como já bem disse, é digno de aplausos. SIM, eu sou fã incondicional. o/

 Meu Deus!  exclamou ela olhando o próprio reflexo no espelho: ela não voltara ao seu corpo! Ainda estava no corpo da adolescente mestiça, a mesma adolescente que a encarava irada, sobre seu ombro!  O que aconteceu? Por que eu ainda estou nesse corpo?
 SUA LADRA!  berrou a adolescente transtornada.  DEVOLVA MEU CORPO! (Livro: A Ladra de Corpos, Pág.24)

De início nos deparamos com duas amigas, Marina e Bete, que loucas para conferir o show do ídolo, Jared Lettus, resolvem fazer uma troca de corpos, com duas garotas que ganharam um concurso para estarem de frente com o seu ídolo. No entanto, Bete, que é uma feiticeira, sem o consentimento de Marina, joga um feitiço muito além, fazendo dessa troca fixa. Marina se vê desesperada quando percebe que não pode voltar ao seu corpo, tendo que deixar de lado sua irmã autista, aos cuidados de um lugar especial, ou seja, sem os seus cuidados. No entanto, ela tem a oportunidade de viver uma nova vida, menos sofrida, e de quebra conhece o seu grande amor, Brendon. P.S: Suspiros pro safadenho Brendon. rs 

Brendon é um jovem fanfarrão, que pega todas as garotas, noivo da ditadora e insossa Morna, ops errei, Norma — e  que ainda assim pega todas as garotas  às vezes mais de uma por noite. Ele é um lindo e atrativo moreno de 22 anos, com uma boca apetitosa. Eis que surge seu apelido: BOCÃO!

Por outro lado temos Marina... Agora ela não é mais um mulher, mas sim uma adolescente de 16 anos, rica, cercada de novos amigos que gostam de estar ao seu lado (coisas das quais ela não desfrutava em sua verdadeira-vida-não-vivida), e também tem ao seu lado o seu grande amor, Brendon. E, ainda a seu lado, segue o espírito da garota que ela tomou posse do corpo, ou seja, Stefany, que por sinal, é um espírito mimado, berrante, sem coração e chato. Na verdade, a única coisa que ambas têm em comum é o nome "Marina", pois o espírito/fantasma se chama Stefany Marina.
 Quem é você?  perguntou ele olhando-a no fundo dos olhos, fazendo-a recuar.
 Ninguém interessante...  murmurou ela.  Talvez alguém ainda mais perdida do que você... louca pra voltar pra casa e ser invisível novamente...
Ela estava se afastando quando ele a prendeu pelos braços e a trouxe para bem perto de si. Encarou-a curiosamente, fazendo-a pensar se ele não descobrira tudo. Era como se ele procurasse alguém dentro dela. Como se soubesse que aquele corpo não era o dela, como se conseguisse ver como ela era... e aquilo apavorou ainda mais Marina. (Livro: A Ladra de Corpos, Pág.147)

Stefany sempre foi uma garota mimada e sem coração, a qual todos conheciam e sentiam repulsa. Por isso foi um tanto quanto difícil Marina convencer a todos  inclusive Brendon  que ela era uma pessoa melhor e que havia mudado.  Contudo, ela conseguiu essa proeza, incluindo-se na família de Ryan (primo de Brendon).

Marina se vê num impasse... Sabe que não é certo continuar desfrutando do corpo de Stefany, e com ajuda de sua amiga Astrid e também de sua mãe Silvia (uma poderosa feiticeira), resolve abrir mão dessa nova vida que tanto ama, e tenta a todo custo desfazer este feitiço, deixando para trás até mesmo seu amor, podendo desta forma estar ao lado de sua amada irmã autista.  Por meses, o corpo de Marina está em coma, num hospital. Agora cesso meus comentários para não soltar spoiler's.

Divertido! 
Instigante! 
Apaixonante!

Uma história narrada em terceira pessoa, muito bem escrita, com personagens cativantes e que me fez entrar de coração na trama, ansiando por fazer parte dela, querendo ajudar uns e detonar outros. A minha imaginação foi longe, Angie tem como característica entreter e divertir o leitor  e suas histórias sempre levam uma boa mensagem. O leitor que degustar de seus textos encontrará muita diversão, e também um 'conteúdo com conteúdo' se é que vocês me entendem. rs >>> Aliás, neste enredo, me deparei com uma diversificada playlist, que me encantou. 

O livro é uma publicação independente, divinamente editada, carregando uma capa que mais no final da leitura sabemos o quão faz sentido, envolto em uma diagramação belíssima e sem erros em sua revisão. Agpra só mes resta uma baita ressa literária. Parabéns, Angita! E agradeço pelo belíssimo presente! \o Por fim: para os apreciadores de um conteúdo divertido e maravilhoso, eis uma fantástica pedida. \o


Livro: A Ladra de Corpos
Autora: Angie Stanley
Gênero: Ficção - Fantasia
Publicação: Independente
Ano: 2013
Páginas: 585

"Uma Razão Para Sorrir"

SEATTLE, WASHINGTON,
AGOSTO DE 1993 - NOVEMBRO DE 1993

(imagem via: Deviantart)


Porra, Jesus Cristo Todo-Foderoso, ame a mim, a mim, a mim, podemos continuar a título de experiência, por favor, eu não me importo se for fora da multidão, eu só preciso de uma platéia, uma gangue, uma razão pra sorrir.
De um registro diário.

(Livro: Mais Pesado Que O Céu - Pág.336)

12 de dez de 2014

Alforria - por Nelson Henriques



Não pretendo enfraquecer e tropeçar
Permitindo que assista sem recuperar
Sempre persisto em enaltecer - tudo:
Nada se esquece, mas tudo fortalece

Ensinamentos repletos de ferimentos
Concretos ao contemplar fragmentos
Fragilizando a capacidade tenaz - sã 
Onde a conexidade é bem perspicaz

Prossigo consciente das frustrações 
Inerentes a um castigo, de repetições 
São infrações que recordo, pelo bem 
Litigando-me sem acordos com o mal 

Sendo capaz de tornar a dor perfeita 
Tal dom provinde de lágrimas sujeitas 
O alívio de uma culpabilizada emoção 
É um convívio lúcido com a motivação..

9 de dez de 2014

"Vídeo Fan-Made #EOCEOI - Capítulo 13"

Eu disse que não faria mais vídeos de "Entre o Céu e o Inferno". No entanto, foi mais forte do que eu! \o Aliás, esta é a canção/inspiração do capítulo 13 que leva como título: "Recomeçando". Confiram:

Poder desfrutar de uma nova identidade até que não soava má ideia. De certa forma, eu apagaria uma parte ruim de minha vida, ou pelo menos tentaria apagar. Partes essas que, em sua maioria, traziam-me tristeza ao coração. (Livro: Entre o Céu e o Inferno - Cap.13)

7 de dez de 2014

(...)


"E no fim abrimos mão de tanta coisa / De tanta gente / De tantos momentos /
Em troca de uma porta / Que nem sempre abre na primeira batida / Ou a chave era errada /
Ou a porta era para outra vida... / Mas nada disso é um jogo / Não somos cartas marcadas /
De um velho baralho / ...a vida é tudo o que acontece enquanto vão
crescendo os nossos galhos..."
                   
                                                                         (por - Marcelo Diniz)

4 de dez de 2014

Algumas opiniões sobre #EOCEOI...

Eu fui tão desatenta quanto a isso, que só agora me dei conta que nunca postei sobre os pareceres de leitores sobre "Entre o Céu e o Inferno". Portanto, confiram algumas opiniões sobre o livro. Por fim: emoção me define! Só tenho a agradecer. \o

(clique em cima das imagens para maior resolução)
 

 

 


3 de dez de 2014

Quote - Amanhecer

Quando eu digo que cagaram nos filmes não é a toa. Se ao menos me colocassem como roteirista... É fato que eu curto bem mais a Saga Twilight nos livros. \o


'"Foi uma sensação estranha - essa de ser boa em alguma coisa. Como humana eu nunca havia sido melhor em nada. (...) Eu era uma boa aluna, mas nunca a primeira da turma. Evidentemente, podia ser excluída de qualquer atividade esportiva. Não tinha talentos artísticos ou musicais, nem outros de que me gabar. Quer dizer, ninguém nunca recebeu um troféu por ler livros. Depois de dezoito anos de mediocridade, eu estava acostumada a estar na média. Percebia agora que havia muito tempo eu desistira de brilhar em alguma coisa. Eu simplesmente fazia o melhor que podia com o que tinha, sem jamais se sentir a vontade em meu mundo. E então era tudo diferente. Agora eu era surpreendente - para eles e para mim. (...) Eu tinha encontrado meu verdadeiro lugar no mundo, o lugar onde me encaixava, o lugar onde brilhava. Meu tempo como humana havia acabado, mas eu nunca tinha me sentido tão viva.'' (Livro: Amanhecer, Stephenie Meyer)

1 de dez de 2014

[Aviso]: Sobre parcerias com #EOCEOI...


Estou recebendo muitos pedidos de parceria, tanto na página de ‪"Entre o Céu e o Inferno" quanto no meu face pessoal, e por motivos maiores, só consegui responder agora. Pois então, atualmente não estou fechando parceria, mesmo porque tenho apenas 7 exemplares para a venda e não sei quando (?) poderei rodar mais livros. De qualquer forma, agradeço e fico feliz pelo interesse de todos. Assim que eu abrir novas parcerias, divulgarei na página de #EOCEOI e também nos meus respectivos blogs.

Abraços literários, 

Simone Pesci.

O segredo da felicidade que os cães todos os dias nos ensinam...

Bom, eu avistei este belíssimo e dilacerante texto (via facebook), dias atrás. No entanto, desatenta, esqueci de anotar a fonte para inseri-la no post... De qualquer forma, não poderia deixar de postá-lo aqui. \o Aliás, a foto inserida nele é minha com o "Bob" (meu cachorro amado), tirada anos atrás, quando ele ainda desfrutava de uma boa saúde. Hoje, ele está com muitos problemas de saúde, já em sua velhice, e sabemos que resta pouco tempo dele ao nosso lado. Estamos sofrendo horrores por ver o quão ele está restrito, mas mesmo assim, ainda o tratamos como sempre: o mesmo pequenino, filhinho amado, que até hoje nos dá muitas alegrias. Obrigada Bob, por fazer dos nossos dias melhores!!! Agora, confiram o texto:

-------------- xxx --------------

Aqui está a resposta (por uma criança de 6 anos):

Sendo um veterinário, fui chamado para examinar um cão irlandês de 13 anos de idade chamado Belker.

A família do cão, Ron, sua esposa Lisa e seu pequeno Shane, eram muito ligados a Belker e esperavam por um milagre.

Examinei Belker e descobri que ele estava morrendo de câncer. Eu disse à família que não poderia fazer nada por Belker, e me ofereci para realizar o procedimento de eutanásia em sua casa.

No dia seguinte, eu senti a sensação familiar na minha garganta quando Belker foi cercado pela família. Shane parecia tão calmo, acariciando o cão pela última vez, e eu me perguntava se ele entendia o que estava acontecendo. Em poucos minutos, Belker caiu pacificamente dormindo para nunca mais acordar.

O garotinho parecia aceitar a transição de Belker sem dificuldade. Sentamo-nos por um momento nos perguntando por que do infeliz fato de que a vida dos cães é mais curta do que a dos seres humanos. 

Shane, que tinha estado escutando atentamente, disse: ''Eu sei por quê.''

O que ele disse depois me espantou: Eu nunca tinha escutado uma explicação mais reconfortante que esta. Este momento mudou minha maneira de ver a vida.

Ele disse: ''a gente vêm ao mundo para aprender a viver uma boa vida, como amar aos outros o tempo todo e ser boa pessoa, né?'' Bem, como os cães já nascem sabendo como fazer tudo isso, eles não tem que ficar por tanto tempo como nós. O moral da história é: Se um cão fosse seu professor, você aprenderia coisas como:

• Quando teus entes queridos chegarem em casa, sempre corra para cumprimentá-los.

• Nunca deixe passar uma oportunidade de ir passear.

• Permita que a experiência do ar fresco e do vento, na sua cara, seja de puro êxtase.

• Tire cochilos.

• Alongue-se antes de se levantar.

• Corra, salte e brinque diariamente.

• Melhore a sua atenção e deixe as pessoas te tocarem.

• Evite "morder" quando apenas um "rosnado" seria suficiente.

• Em dias quentes, deite-se de costas sobre a grama.

• Em um clima muito quente, beba muita água e deite-se na sombra de uma árvore frondosa.

• Quando você estiver feliz, dance movendo todo o seu corpo.

• Delicie-se com a simples alegria de uma longa caminhada.

• Seja fiel.

• Nunca pretenda ser algo que não é. 

• Se o que você quer, está "enterrado"... cavoque até encontrar. E nunca se esqueça: " Quando alguém tiver um mal dia, fique em silêncio, sente-se próximo e suavemente faça-o sentir que está aí... EIS O SEGREDO DA FELICIDADE QUE OS CÃES TODOS OS DIAS NOS ENSINAM.

(via: facebook)

26 de nov de 2014

Sobre 2014...

À  s vezes me pego pensando:

 Por que trabalhar tão corretamente se na verdade não há reconhecimento? Aliás, pela segunda vez, estou me sentindo usada, descartável, um lixo. Dei o melhor de mim, nunca faltei e foram poucas as vezes que atrasei (no máximo uns 3 minutos). Fui trabalhar com dores e só enfrentava um posto de saúde depois do meu horário de serviço, para que assim, não houvesse nenhum comentário.

Atendi sempre muito bem os clientes e funcionários, entreguei os relatórios (semanais e mensais), tudo no prazo que fora estipulado. Segurei meu desapontamento e choro: fosse com um cliente ou até mesmo com um funcionário egocêntrico, que decerto me colocava num patamar abaixo: o de telefonista-terceirizada-necessitada. SIM, eu ainda sou uma necessitada telefonista, porém, desempregada. E se não fosse eu estar lá, atendendo bem a todos, teríamos uma guerra audio-telefônica. Entre promessas falsas e tapinhas nas costas, depois do afastamento, escutei:

 Entrará um nova empresa, também terceirizada, mas pelo que sabemos, serão contratadas novas funcionárias, pois não querem ninguém com vícios de trabalho por aqui...

Foi isso mesmo que escutei? Vícios de trabalho? O meu único vício foi trabalhar direito, e sinceramente, é lamentável escutar isso da boca de uma pessoa que só consegue estar onde está porque lambe o rabo de uma gerência e diretoria que de fato tá cagando e andando para os funcionários (principalmente os terceirizados). Lembro-me de uma coisa que foi dita, um pouco depois que o meu contrato acabou:

 Agora você é uma escritora famosa, não precisa mais trabalhar aqui atendendo esse telefone.

Hein? Eu sou uma autora independente, que quebrou o contrato de última hora com uma editora e rodou apenas 160 livros físicos , e que graças a Deus, por meses, conseguiu segurar as contas de casa com o salário (que nem era aquelas coisas), mais o dinheiro destes livros. Agora sem o salário, e por sinal, sem a rescisão que ainda nem foi paga (e sabe-se lá se algum dia vai ser?) pela contratante de merda terceirizada, estou mais na merda do que nunca. P.S.: Olha a redundância na palavra "MERDA" Dona Simone... Me dê um desconto pessoal, estou triste, revoltada e com o coração nublado!!! Eis 'a escritora famosa'.

Então, no auge do desespero, tenho o meu momento "Alex"...

 Opa! Perae, quem é Alex? 

Pra quem não sabe,  Alex é a personagem central do meu livro. Ela é meio assim: Entre o Céu e o Inferno —, e digo desde já que estou mais no momento "Alex - Inferno" do que no momento "Alex - Céu": desacreditando de tudo e de todos  até mesmo do cara lá de cima  o tal Deus! No entanto, ainda existe um lampejo de esperança, pois tenho que me lembrar que foi Alex, Max e o Juan que fizeram do meu 2014 melhor, pois esta conquista  a meu ver  foi uma das poucas coisas que valeu a pena este ano...

Por fim: ainda estou ao lado daqueles que realmente importa pra mim (minha família), e por isso estou encontrando forças até mesmo no 'meu inferno astral'. Aliás, meu INFERNO deve estar feliz em me ver deste jeito. Na verdade, queria estar na companhia do meu CÉU, mas este tampouco lembra que eu existo.

Se vou agradecer este 2014?

SIM! Valeu DEUS!!! Só estou revoltada com a situação que me encontro... Mas vou tentar acreditar que dias melhores virão... E pra fechar esse post com chave de ouro, deixarei um sonzinho, que me inspirou em um dos capítulos do livro... e seja o que Deus quiser, porque...
Mesmo quando tudo pede um pouco mas de calma, até quando o corpo pede um pouco mais de alma, a vida não pára.

23 de nov de 2014

[Falando em]: Waterland, Perseguindo Sonhos (Livro 1) — de Andrea Bahia

Eu ganhei este livro dias atrás, de parceria com a editora "Tribo das Letras". P.S: Obrigada, Nanda! S2  Aliás, eu avistei-o pela primeira vez na Bienal 2014, quando estava expondo o meu primeiro livro no estande da TDL. No entanto, o desconhecia. Trata-se de uma trilogia de gênero fantasia, sendo que este é o primeiro volume. Portanto, confira agora a sinopse, teaser trailer que eu tive o prazer em editar e resenha de "Waterland, Perseguindo Sonhos  Livro 1", obra de Andrea Bahia


Sinopse: O que fazer quando parte de sua memória foi apagada misteriosamente de sua mente? Quando dois anos de sua vida são um total mistério? Quando duas vidas se misturam em sonhos e realidades? Quando você passa a questionar sua própria sanidade? Seguir em frente é a única opção existente... Anna é uma garota normal: jovem, bonita e confusa. Sua vida poderia ser perfeita se não fosse pelas dúvidas que abalam sua mente e o mistério que assombra o seu passado. Numa tentativa de redescobrir a si mesma, ela embarca para o outro lado do mundo, Austrália, deixando para trás o conhecido e buscando as respostas tão desejadas. O que ela não esperava era que essa nova vida traria não apenas respostas, mas mais perguntas a serem respondidas, mais emoções a serem vividas e um amor que resistiria a barreira do inexplicável...

P.S: Vídeo editado por Simone Pesci
Diferente do que acontecia na adolescência, no final de cada sonho, eu sempre fugia, tentando acordar. Ainda que, de alguma forma, meu coração não quisesse. Talvez a realidade esteja vencendo, ou talvez seja eu perdendo a capacidade de sonhar... (Livro: Waterland, Pág.9)
 "O livro é envolvente, apaixonante, um mergulho onde as emoções tomam conta de você e faz com que a cada parte da história você deseje cada vez mais."

É isso que está escrito em uma das orelhas do livro, e foi exatamente isso que senti ao lê-lo. Minha surpresa foi tão grande, que por diversas vezes me peguei pensando: "Este livro tem que ser lido por todos". Quem me conhece sabe que o meu gênero literário predileto é o romance/drama. No entanto, estou resenhando uma obra recheada de paixão e aventuras. Eis que surge Waterland, que é nada mais que uma ilha, um outro mundo do qual a protagonista, Anna, terá que relembrar que faz parte. 
Agora eu tenho a minha frente meu sonho realizado, meu primeiro e único amor ao alcance de minhas mãos, mas ao mesmo tempo, a confusa ideia de duas vidas paralelas, tem me tirado o chão. Eu não serei a mesma depois disso, o 'eu' de ontem, não mais existia. A momentânea ideia de normalidade é um acalento ao coração. (Livro: Waterland, Pág.84)
Ao mudar de país, Anna conhece Nereu. De forma repentina, ela tem a leve sensação de conhecê-lo de outros tempos, o que é revelado sucintamente durante a trama. Os dois carregam a mesma marca de nascença, uma concha nas costas, e isto, de início, deixa ela apavorada, fazendo com que pense que ambos possam ter algum parentesco ou até mesmo serem irmãos. Ela passa a ter sonhos reveladores e confusos, muitos destes com Nereu, e com o tempo passa a descobrir parte de sua origem e também o verdadeiro sentimento que nutre por ele, fazendo-os dois amantes apaixonados. Nereu é o seu porto seguro, e por tempos sente-se transtornado com a perda de memória da sua amada, e assim afasta-se. Contudo, depois de um tempo, resolve voltar para o lado de Anna. O quote que colocarei abaixo é uma das cenas de amor mais linda que li até hoje. S2
Solta minhas mãos e nada fez antes de ver meus dedos aprisionarem a fronha. Seus lábios se movem de cima a baixo, subindo e descendo colina. Hora sugando e mordiscando, hora acariciando como uma leve pena. Meu corpo se contorce.
Seus hábeis dedos dedilhavam meu intimo sobre o fino tecido. Um exímio pianista levando-me para altas notas...

 Nereu...  A eletricidade corre minha pele, eu quero mais, eu preciso de mais. (Livro: Waterland, Pág.169)


Preciso dizer mais alguma coisa?

Agora vou cessar os meus comentários para não soltar spoilers

Geralmente quando leio o primeiro capítulo de uma obra, já tenho a ideia do que me aguarda no decorrer da leitura. Afirmo que me encantei logo de cara, pois além de um conteúdo muito bem escrito, encontrei intensidade envolta em um "quê" poético, algo que muito aprecio.  A autora mostrou-se uma excelente contadora de história em seu primeiro enredo, construindo uma trama envolvente e de perder o fôlego, onde mundos se interligam, levando os personagens a atitudes drásticas e que faz até mesmo o leitor se questionar. Os personagens  secundários são tão apaixonantes e envolventes quanto os protagonistas. Eu fiquei envolvida do início ao fim, tentando descobrir os segredos a desvendar, o que não foi revelado de um todo, pois como já mencionei, trata-se de uma trilogia. Portanto, vem muito mais por aí, assim espero. \o Os capítulos finais foram contagiantes, eu fiquei enternecida por todo conteúdo. Além do mais, a autora presenteou o leitor com um epílogo que MINHA NOSSA! Perdi ainda mais o fôlego pela trama e agora, mais do que nunca, anseio por ler sua continuação. 

O livro é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; como houve um problema na impressão do arquivo, pois foi impresso o arquivo errado,  eu li o livro impresso com alguns contratempos na diagramação e revisão, algo que já está sendo corrigido para uma nova impressão, nada que desabone a leitura. Se eu gostei? NÃO, EU AMEI! S2... E leria até mesmo a lista de compras da Andrea. \o Por fim, para você que curte um MARAVILHOSO romance com uma pitada de fantasia, eis essa excelente pedida. 



Livro: Waterland, Perseguindo Sonhos (Livro 1)
Autora: Andrea Bahia
Gênero: Romance/Fantasia
Editora: Tribo das Letras
Ano: 2013
Páginas: 290