21 de out de 2014

[Falando em]: A Música Nunca Parou

Ao me deparar com essa lindeza de capa e título, apaixonei-me. Aliás, quem me conhece sabe o quão movida a música sou, tanto que meus enredos nascem delas. E saber que essa história é baseada em fatos reais, despertou ainda mais o meu interesse. Portanto, pra você que é apaixonado por música e curte um enredo extremamente tocante, confira a sinopse, ficha técnica, trailer e meu parecer sobre o filme, "A Música Nunca Parou".


Sinopse: História de um pai que se esforça para se conectar com seu estranho filho Gabriel, depois que ele adquire um tumor cerebral que o impede de guardar novas memórias. Com Gabriel incapaz de encarar as crenças e os interesses que causaram sua distância física e emocional, Henry deve aprender a abraçar as escolhas de seu filho e tentar conectar-se com ele através da música.

Ficha Técnica
Título: The Music Never Stopped (Original)
Título no Brasil: A Música Nunca Parou
Ano produção: 2011
Dirigido por: Jim Kohlberg
Estreia: 13 de Março de 2014 ( Brasil )
Gênero: Drama - Música
Elenco: Alex Ziwak, Anthony Del Negro, Cara Seymour, Erica Fae, J. K. Simmons, Joe Urban, Julia Ormond, Kelly AuCoin, Kevin Cannon, Lou Taylor Pucci, Mía Maestro, Peggy Gormley, Scott Adsit, Tammy Blanchard e Vaughn Goland
Duração: 105 minutos



O amor pela música os unia;
Mas há anos isso se perdeu;
Eles não falavam a mesma língua;
E a música foi a caminho... Para se reencontrarem!
Por mais perdido que se esteja... A música sempre pode te levar pra casa!

Às vezes aprendemos com a dor! E isso é o que vemos nessa obra, ou seja, pai e filho, ambos com seus anseios: o filho vive de música e sonha em continuar com sua banda, contradizendo o que o pai anseia para ele; o pai quer que o filho curse uma faculdade, se case, tenha filhos e, quem sabe, defenda a pátria. Eis que surge uma discussão, e da discussão suas consequências... Pai e filho (e no caso a mãe também), ficam separados por 20 anos, sem ter notícias um do outro. E por uma trágica fatalidade da vida, eles se reencontrarem. Contudo, o filho  Gabriel  acabara de sofrer uma cirurgia na cabeça, devido à um tumor cerebral, e com isso ele perde parte da memória. Agora ele se recorda apenas de algumas lembranças quando escuta canções do passado, aquelas mesmas das quais ele tanto amava, presente e futuro é uma incógnita que deve ser trabalhada. Desta forma, seu pai precisa aprender a olhar a vida com outros olhos, ou seja, com a mesma visão que o filho tinha aos 18 anos, quando o ponderou e, por fim, afastaram-se. 

E pensar que se trata de uma história real...

Este é aquele tipo de enredo que te faz pensar sobre erros e acertos, alguns destes sem volta, seja por birra ou falta de diálogo, ou até mesmo pela indiscutível e certeira conclusão egocêntrica. Enfim, coisas da vida. No momento que me deparei com este filme, pensei: 

 Eu preciso assisti-lo! 

Como cinéfila e apreciadora de um bom drama, fiquei de frente com uma maravilhosa história. O filme foi indicado no "Festival Sundance", e filmes indicados para este festival, geralmente me atraem. E este não fugiu a regra! Estou resenhando um filme que fala sobre coisas da vida, desde as mais simples, até as mais complicadas... Muitas destas com consequências irreparáveis. 

Este filme fala de decisões e suas consequências... Um enredo inspirado numa história real que poderia acontecer com qualquer um... Uma história que pode até mesmo acontecer de forma diferente, porém com as mesmas consequências... Um filme que fala de coração, de doação, de uma nova chance em consertar erros do passado. Além de tudo isso, tenho que falar também da MARAVILHOSA e DIVINA trilha sonora, que conseguiu me teletransportar ainda mais para dentro do enredo e fez-me sentir as dores do pai, filho, mãe e amigos como se fosse comigo. Destaco também a grandiosidade de conteúdo, que ao final leva consigo uma linda e importante mensagem. ASSISTAM, pois vale muito a pena! De 1 a 10, dou nota 1.000. Simplesmente divino! S2

Nenhum comentário

Postar um comentário