29 de out de 2015

[Falando em]: O Despertar da Espécie — de Marcia Rubim

Ler mais um livro desta série é um imenso prazer. Afinal de contas, sou fã do enredo e também amiga da escritora. \o Aliás, quero agradecer a minha moréca e parceira de editora, a Marcia Rubimpela troca de exemplares. 

Eu acompanho a série desde o início e sempre ansiei em saber como seguiria a trama, já que se trata de quatro livros. Este, por sinal, é o terceiro, e posso adiantar, eu simplesmente amei! S2 Para quem ainda não conhece a obra, sugiro que conheça um pouco mais do primeiro livro clicando AQUI e também um pouco do segundo livro clicando AQUI. Agora vamos de sinopse, book trailer que eu tive o prazer em editar e a resenha de "O Despertar da Espécie", uma publicação da editora Tribo das Letras.


Sinopse: Diante do desafio de construir um lar feliz ao lado da tão sonhada família conquistada, o casal Stephanie e Richard enxerga no futuro um mar de dificuldades e incertezas a serem enfrentados, jamais imaginando que o maior perigo de todos viria do passado. Mortes. Desconfianças. Mágoas. Depressão. De um segundo para o outro, tudo pode mudar. O que fazer quando se descobre que existe uma lei soberana sobre a espécie, capaz de anular o mais poderoso de todos os sentimentos? É possível se manter imparcial numa guerra, sabendo que pessoas que amamos estão em lados opostos? Torça. Vibre. Apaixone-se. Descubra as consequências de um amor em chamas com o terceiro livro da série Adeus à Humanidade.

"Quando a sombra do passado marca o amor a fogo."





P.S: Vídeo editado por Simone Pesci

Antes de mais nada, tenho que avisar que fazer essa resenha sem soltar spoilers dos livros anteriores (e um pouco deste) é impossível. Portanto, esteja ciente que se continuar a ler essa resenha, haverá SPOILERS.

O Despertar da Espécie chega de forma única, abordando nada mais que o amor em família, pois entre o primeiro e o segundo livro tivemos um grande progresso: do fruto proibido entre uma humana e um vampiro nasceu a paixão; da paixão nasceu o amor; do amor aconteceu a entrega; da entrega a renúncia à humanidade; da renúncia à humanidade ao laço matrimonial; do laço matrimonial a uma verdadeira família; de uma verdadeira família também vieram filhos legítimos; filhos estes que obviamente não são apenas humanos, pois em algum momento de suas vidas despertarão para uma nova espécie, ou seja, se tornarão vampiros.
Doze anos se passaram desde que nos casamos, e nada mudou. Até parece que eu conseguiria me encantar por outro ser que não fosse ele... O problema é que a paixão vampiresca é assim mesmo: a chama não acabava nunca,  e só o que ela fazia era cada vez mais inflar em progressão geométrica. Ele intimamente tinha certeza da infinitude dos meus sentimentos, mas achava que os outros tinham que perceber isso também. Tal como aconteceu com o nosso filho, contive o impulso de rir da cara azeda que Richard fazia. (Livro: O Despertar da Espécie, Pág.18)
Os anos passaram e depois de tantas dificuldades e transtornos, Stephanie e Richard vivem em um outro país (fora do Brasil), junto com os filhos, Rico e Vitória, que ainda são crianças. No início da trama, nos deparamos com uma família feliz, seguindo os dias e noites de forma mais humana possível. Os filhos sabem a origem dos pais e também sabem que em algum momento terão que despertar para uma nova espécie, tornando-se também vampiros. Rico fica contente com a ideia. Porém, Vitória, nem tanto. A questão é que mesmo com todo entendimento familiar, há momentos os quais eles são questionados, especialmente no colégio em que os filhos estudam, pois como qualquer criança, os pimpolhos deixam escapar coisas corriqueiras do dia a dia, coisas essas que fogem da normalidade.
 Pode deixar que a levo para a enfermeira  ofereceu sua professora, Norah.
 Ah, não... Quero o meu pai!  choramingou Vitória, num inglês tão impecável que dava até para me orgulhar numa hora tão imprópria.


 Querida, a enfermeira Megan vai cuidar direitinho do seu machucado, pode confiar.  insistiu Norah.


 Meu pai é melhor. Ele lambe o meu machucado e para de doer na hora. (Livro: O Despertar da Espécie, Pág.30)


Desta forma, Stephanie e Richard sempre usam seus poderes, hipnotizando e apagando lembranças daqueles que possam causar algum risco para a família Hacket. O problema é que a luta é diária... Agora os filhos já estão adultos e se deparam com uma humanidade que está por um fio. Rico sempre festivo e possessivo como o pai, e Vitória, ou Vitty  como é acostumada a ser chamada por todos em casa  se dedica aos estudos e também vive um grande dilema, pois está apaixonada pelo amigo do irmão. Ambos mentem para todos, dizendo que Richard e Stephanie são apenas parentes e não seus pais, pois seria estranho ter pais aparentando ter a mesma idade que os filhos. Rico também está apaixonado (ou pensa que está). No entanto, essa paixonite é o gatilho a ativar para uma grande tragédia. E de uma hora pra outra o amor da matriarca e do patriarca (e também de toda a família) é jogado ao léu, colocando todos em grande risco, deixando-os à merce do improvável, causando dor e sofrimento, destruindo o laço matrimonial entre eles e também até mesmo a unida e amorosa família.

Em algum recôndito perdido no cérebro, a preocupação com o paradeiro de Rico acendia, porém o torpor que se apossou do meu corpo dominou. Minhas pernas tremiam e pareciam não mais conseguirem se mover.  Eu olhava ininterruptamente para a minha aliança, dividida entre dois pensamentos: o de jogar fora o símbolo da promessa de amor eterno com toda fúria pela janela e o de retê-la, como se nela contivesse alguma magia capaz de anular o que havia visto e ao acordar em breve fosse constatar que tudo não passou de um pesadelo. (Livro: O Despertar da Espécie, Pág.187)
Daí por diante a trama tem uma grande reviravolta, adornada com cenas de perder o fôlego. Contudo, cesso os meus comentários para NÃO soltar mais SPOILERS.

E por mais uma vez a Marcinha apresentou um enredo cativante, que me prendeu do início ao fim, deixando-me ansiando sempre por mais, querendo, por  fim,  saber o desfecho final. Aliás, assim como os livros anteriores, fiquei satisfeita com o desfecho, e digo mais: estou ansiosa para saber o que virá no último livro, que como a própria escritora me disse, será aos olhos do Richard e se chamará "Renascer Para a Eternidade".

O livro é narrado em primeira pessoa, sempre aos olhos da Stephanie, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; sua diagramação é simples e bonita, com fonte e espaçamentos na medida certa, as páginas são em pólen, ou seja, amarelas; e sua capa é linda de viver, estampando uma Stephanie inquisidora, com um olhar de uma vampira que está disposta até mesmoarriscar sua eternidade para proteger aqueles que ama. Por fim, se você ainda não conhece essa série e aprecia o gênero, eis uma excelente pedida. \o


Livro: O Despertar da Espécie (Série  Adeus À Humanidade)
Escritora: Marcia Rubim
Gênero: Romance/Fantasia
Editora: Tribo das Letras
Ano: 2015
Páginas: 335

4 comentários

  1. Também venho acompanhando a série e sinceramente O Despertar da Espécie foi o que mais gostei, dá uma ansiedade do começo ao fim que raiva da vampirona invejosa, que lindo o amor entre a família... Agora é esperar pelo próximo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SIM, San! Este também foi o que eu mais curti. Aliás, curto todos, mas este teve algo diferente, deve ser o fato de todo o drama ser em torno da família. S2

      Volte sempre!

      Beijosssss

      Excluir
  2. Resenha lindíssima, Si! Obrigada por esse imenso carinho! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcinha, sou eu que agradeço! \o
      Fico feliz de saber que curtiu a resenha! \o/\o/\o/
      Estou aguardando o livro 4. S2

      Beijossssssss

      Excluir