11 de mai de 2016

[Falando em]: Rua do Berro, Livro 1 — de Tommy Donbavand

A resenha de hoje é muito especial, pois trata-se de um enredo juvenil, algo que pouco leio e que cada vez que me atrevo a viajar em páginas, me apaixono. S2

Este livro foi deixado aqui em casa pela minha sobrinha, o que descobri dias atrás e, sem hesitar, resolvi lê-lo. E já adianto que AMEI, mesmo não sendo este o meu gênero predileto — e, como de costume, quando uma leitura me surpreende, deixo a frase de sempre: "a partir de agora, eu leio até mesmo a lista de compras do Donbavand". \o Portanto, confira a sinopse e resenha do livro "Rua do Berro", obra de Tommy Donbavand, uma publicação da editora Moderna - Selo Salamandra. 


Sinopse: Não tem jeito: Luke já sabe que vai ter mesmo de viver neste lugar estranho chamado Rua do Berro. Mas pelo menos já encontrou dois amigos - Ressus Negativ (aspirante a vampiro) e Cleo Longg (uma múmia menina). Com eles, Luke até acha que vai se sentir em casa. O problema são seus pais, que estão aterrorizados com a nova vizinhança. Conseguirá Luke encontrar a passagem de volta para o mundo real antes que eles morram de medo?



"Porque o novo pode ser horripilante e contagiante"


Instigante! 
Envolvente!
Divertido!


Luke Watson é um garoto que acabara de sofrer uma metamorfose, pois descobriu não ser um ser humano normal, mas sim um híbrido. Desta forma, assusta-se com a sua nova condição, ou seja, um garoto/lobisomem. Ao descobrir-se diferente, ele e seus pais  o Sr. e a Sra. Watson , são capturados por seres de aspecto assustador, chamados Mudadores. Eles são enviados para um outro mundo, onde, agora, vão residir num lugar estranho, que leva como nome, Rua do Berro. 
Ouvindo as vozes de novo, Luke voltou ao hall. Abriu uma porta à direita que dava numa velha cozinha. Seus pais estavam sentados juntos nas cadeiras de uma das extremidades de uma comprida mesa de madeira.
 Mãe!  exclamou Luke ao atravessar correndo a cozinha para abraçá-la. Ela estava tremendo.  Onde estamos?

 Não sabemos  disse o pai de Luke.  Acordamos na nossa cama num quarto no andar de cima. Achamos você, mas não conseguimos acordá-lo. (Livro: Rua do Berro, Pág.21)

Os sequestradores fazem parte de uma companhia intitulada AEOHFVIN (Agência Estatal de Organização Habitacional para Formas de Vidas Incomuns). E assim que Luke e sua família são enviados ao seu novo lar, se deparam com tantas outras pessoas em situações inusitadas e diferentes. Luke dá de cara com Ressus Negativ, um aspirante a vampiro e também com Cleo Longg, uma múmia menina. E isto o faz se sentir melhor, pois percebe que além dele, existem muitos outros diferentes. Apesar de estar com medo de tantas novidades horripilantes, ele acaba por criar um grande vínculo com o aspirante a vampiro e a menina múmia. 
 O que é Sempreviva?  Luke perguntou, ao alcançar Ressus.
 Empório Sempreviva   explicou o vampiro.  Ufa Sempreviva é uma bruxa. Está tentando fabricar um feitiço para deter os ataques  de poltergeistes.

 Ataques de polter-o-quê?  perguntou Luke, empurrando Ressus para uma cerca viva quando uma lata de lixo de metal investiu na direção deles na calçada.

 Poltergeist!  gritou Ressus enquanto a lata de lixo passava toda barulhenta.  Um tipo de fantasma que pode mover coisas. São notórios pelo mau humor. (Livro: Rua do Berro, Páginas 30 e 31)

Muitos acontecimentos estranhos vão dando a cara, assim como tantos outros estranhos personagens, tais como zumbis, um professor que é uma caveira, bruxas, poltergeistes, entre tantos outros. E o que leva esse trio a seguir uma assustadora aventura é a procura de um livro, onde será possível ter as coordenadas para a caça de seis relíquias deixadas pelos fundadores da Rua do Berro e que, encontrando-as, Luke poderá reabrir o portal e ter a chance de voltar com a sua família para o seu antigo mundo, ou seja, o seu antigo lar.
Luke aproveitou a oportunidade para inclinar-se na direção de Ressus e sussurrar:  Isso é tudo muito aconchegante, mas como vai ajudar a levar meus pais para casa?
 Minha mãe disse que há um livro que mostra como abrir uma passagem para o seu mundo  respondeu o vampiro.  Contos da Rua do Berro de Pulipedra. (Livro: Rua do Berro, Pág.49)

Assim os três amigos iniciam uma árdua caça ao livro e suas seis relíquias, ora divertindo-se, ora assustando-se. Agora cesso os meus comentários para não soltar spoilers

Em primeiro lugar, afirmo que dei 5 estrelas no Skoob pois acredito que o enredo conseguiu atingir sua proposta para o público que a ele é destinado. Portanto, quem se enveredar nessas páginas, deve estar ciente que é uma história juvenil. Por isso, não queira encontrar grandes acontecimentos e uma narrativa rebuscada.

Eu fiquei entorpecida pelo enredo do início ao fim, achei todo contexto excelentemente desenvolvido e também com personagens apaixonantes. Em muitas cenas o autor ousou colocando o terror, ultrapassando até mais do que eu esperava, o que me deixou ainda mais atraída. Algumas pontas ficaram soltas, porém, creio que pelo fato de se tratar de uma série com 16 volumes. No entanto, pelo que pesquisei, aqui no Brasil, foram publicados apenas 6 destes. Eu leria a série inteira, e digo que fiquei com uma baita curiosidade do que vem pela frente. Aliás, o autor brindou os leitores com o primeiro capítulo do livro 2 no final, o que me deixou ainda mais com vontade de lê-lo. \o

O livro é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação é MARAVILHOSA,  envolta em papel pólen (o amarelinho), com espaçamentos na medida certa e fontes um pouco maiores, o que facilitou ainda mais a leitura  e o mais lindo de tudo foram as artes usadas na diagramação, com imagens dos personagens, mapas de localizações e cenas, um trabalho primordial e de encher os olhos; sua capa é linda de viver, estampando os três amigos em uma das cenas narradas na trama. O livro é curtinho e também uma leitura fruível, eu só não a concluí antes, pois tive que deixá-la de lado por duas vezes para fazer outras coisas que estavam pendentes. Por fim, se você curte uma história de cunho juvenil, cativante e envolvente, eis uma excelente pedida. Se eu gostei? NÃO! Eu não gostei... EU AMEI! S2


Livro: Rua do Berro, Dente de Vampiro (Livro 1)
Autor: Tommy Donbavand
Gênero: Literatura Juvenil
Editora: Moderna - Selo Salamandra
Páginas: 152
Ano: 2009

10 comentários

  1. Oi, Simone.

    Raramente, leio juvenil, mas quando me encanto eu viajo para mundos incrívei, Pela sua resenha, me lembrei de diversos da série Vaga-lume, do Marcos Rey, Pedro Bandeira, entre outros. Adorara A ilha perdida, Cachorrinho Simba, Heidi, os clássicos juvenis do Ganymedes José, J. M. Simmel (É proibido chorar), Um colégio diferente, Patins de Prata, Sem Família (Hector Malot), Heidi (Johanna Spyri). São livros que me marcaram demais e até hoje sempre releio alguns. São de encher os olhos e a nossa alma. Sinto falta de livros que remetem coisas boas e nos fazem reviver a nossa infância e adolescência. Bons tempos esses.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem-vinda, Carlinha!
      Infelizmente eu não tive a mesma experiência na infância, não tinha o hábito de ler. Mas concordo com você, livros que remetem coisas boas são tudo! S2 Ainda bem que hoje posso dizer o contrário, pois faço da leitura o meu acalento. É um prazer sem igual. Adorei suas dicas! Volte sempre!

      Beijosssss

      Excluir
  2. Interessante. Fiquei com muita vontade ler. Pena não lançarem a coleção completa no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rick,
      Só acho que você vai curtir, apesar de ser juvenil. Além do mais, você pode ler para o seu filho. Tenho a leve impressão que ele também vai curtir. S2

      Beijosssssss

      Excluir
  3. Pela resenha tão bem escrita parece ser muito bom. Me lembrou os livros que eu lia na biblioteca no meu tempo de colégio rs O enredo envolvendo um garoto lobisomem e dois amigos, um aspirante a vampiro e uma menina múmia deve ser muito divertido, um prato cheio para o público juvenil. Porém, uma coleção que se estende em 16 livros é demais. Não gosto muito disso. No máximo uma trilogia pois nunca sei se conseguirei o próximo, imagina mais 15. Contudo,sei que muitos adoram isso. Imagina os 16 livros na sua estante?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ad,
      E bota prato cheio nisso! Eu mega amei! S2 E quanto a coleção tão grande assim, também não curto. No entanto, com essa eu arriscaria. \o hahaha

      Beijossssss

      Excluir
  4. Caramba, que massa... vontade enorme de ler com meu filho.
    De repente, vendo a aceitação do povo brasileiro, até apareçam por aqui os outros volumes.
    Imagino já lendo com ele, antes de ir dormir. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Re,
      Tenho certeza que tanto o seu filho quanto você curtiriam essa lindeza. S2 Além de ser uma leitura divertida, és também bem instigante e deixa aquele gostinho de quero mais.

      Beijosssss

      Excluir
  5. Hum, ai, sei lá mesmo sendo infanto juvenil sei não se me arrisco a ler kkkk
    Si adorei a sua criterização quanto ao Skoob.
    Já pensei até em fazer um post explicando pq não sei se o povo entende pq do tanto 5 kkk. Mas o meu critério é exatamente esse. Se o livro atingi o que se propõe ele deve ganhar nota máxima ué.

    Não posso dar uma nota 3 para um livro super fofo e bem escrito pq ele não tem linguagem rebuscada e tal.

    Sua resenha como sempre maravilhosa. Mas essa dose de terror ai, sei lá to fora kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fer,
      Pode ir fundo na leitura, o terror que tem no livro é sarcástico e moderado, bem para o público juvenil. E quanto as estrelas do Skoob, só ressaltei isso porque este não é um dos gênero que eu mais aprecio. Porém, ainda assim, se eu me propus a lê-lo, tenho que estar ciente até onde ele pode chegar, já que não é uma trama construída para a minha faixa etária... E isso, de forma alguma, deve influenciar nas avaliações em plataformas digitais. Temos que enxergar como o público alvo.

      Beijosssssss

      Excluir