23 de jun de 2016

[Falando em]: Como eu era antes de você — O Filme

Na última segunda-feira (dia 20/06/16), estive no cinema assistindo uma das adaptações que eu mais aguardava, ou seja, o filme "Como eu era antes de você", de Jojo Moyes (P.S: Para conferir a resenha do livro, clique AQUI). Porém, só agora pude vir falar sobre ele. Aliás, antes procurei alguns pareceres, sendo que me deparei com opiniões diversificadas: algumas excelentes, outras nem tanto. Contudo, nada melhor do que o próprio leitor para avaliar aquilo que lhe foi apresentado em páginas e na telona. Eu, por exemplo, li a obra por duas vezes, e em ambas me vi envolta num turbilhão de emoções. 

Uma coisa que me faz ansiar pela adaptação é o quão a obra me envolveu, independente do gênero. E este livro tornou-se um dos meus prediletos, um enredo de cunho dramático, com uma pitada sarcástica e, por fim, uma grande lição. Tem algo mais perfeito do que isso, ler um livro e aprender com ele? Sem mais delongas, vamos ao que interessa...

Quando o trailer de "Como eu era antes de você" foi apresentado pela primeira vez, fiquei estupefata com a escolha dos atores para interpretar os personagens centrais, ou seja, Louisa Clark (Emilia Clarke) e Will Traynor (Sam Clafin).  Afinal, a meu ver, eles caíram como uma luva, e com isso o meu sorriso estendeu-se ao infinito. No entanto, havia aquela preocupação: será que ambos conseguiriam transpor os sentimentos em grandeza e proporção como foi feito em páginas? A resposta foi um belíssimo SIM! Eles conseguiram com maestria. 

>>>Abaixo, spoilers do filme<<<

Apesar de me deparar com muitas caras e bocas do Sam no início do filme, eu já sabia que isso era necessário, pois foi dessa forma que Will foi apresentado no livro, quando damos de cara com um homem de 35 anos preso à uma cadeira de rodas, infeliz e ansiando pelo seu fim. Aliás, o Clafin está de parabéns, pois pra mim ninguém interpretaria melhor do que ele, uma interpretação com talento e coração. E isso eu vi logo de cara, quando ao receber sua nova cuidadora (Lou Clark) pela primeira vez, ele simula um ataque — assim como no livro , imitando Christy Brown, de "Meu Pé Esquerdo" (P.S: Ri litros com essa cena). hahaha

Ao longo da trama o personagem vai ganhando destaque e empatia, mostrando ao espectador que és um homem de bom coração, apesar de transparecer o contrário. E novamente Sam Clafin enterneceu-me, dando vida as dores e alegrias de Will Traynor, me teletransportando para as mesmas dores e alegrias. Porém, agora, tenho que falar de Louisa Clark, ou melhor, da atuação magnificamente perfeita da Emilia Clarke, que conseguiu superar todas as minhas expectativas, afinal, a meu ver, este era o personagem mais desafiador da trama, onde a atuação lhe cobraria um "quê" maior de comédia onde o drama perpetua. Eu fiquei coberta de amores pela Lou até mais no filme do que no livro, onde ela conseguiu me arrancar risos e lágrimas em questão de minutos, deixando-me deveras envolvida. Também tenho que falar dos antagonistas, tal como o  elenco de apoio, pois foram escolhidos a dedo e atuaram com verdade e perfeição, fazendo de todas as cenas sensacionais. E falando nas cenas...

Como todos sabem, uma adaptação nunca fica igual ao livro. Eu já assisti muitas adaptações, algumas gostei, outras nem tanto. No entanto, com essa o meu grau de excitação expandiu-se a tal ponto, que vou tentar me expressar da melhor forma... Todas as cenas incluídas foram de suma importância, e o que mais me alegrou foi a proximidade com o que foi descrito no livro, digo até mesmo nos diálogos. É claro que há algumas mudanças, mas elas foram tão próximas da trama em páginas (algumas até mesmo igual  me corrijam se eu estiver enganada), que fiquei embasbacada, questionando-me o quão certo é o autor estar de frente com a adaptação, pois somente o autor para transpor com verdade o conteúdo. De tudo que foi apresentado, houve apenas quatro cenas que eu senti falta:

>>>Spoilers do que "não incluíram" no filme<<<

1) Em páginas, houve um capítulo exclusivo da mãe do Will, onde a mesma narra em detalhes seus sentimentos, ou seja, o antes e depois da tragédia. A meu ver esse foi um dos capítulos mais lindos e intensos da trama, e fiquei decepcionada de não vê-lo no filme. 

2) Há um trecho do livro em que Lou e Will resolvem fazer uma tatuagem. Will, como sempre sarcástico, tatua a data do acidente que fez dele um tetraplégico; enquanto Lou... Ah, leiam o livro. A intimidade deles nessa cena é tão perfeita, que foi uma pena não tê-la no filme.

3) Essa foi a cena que eu mais senti falta, um tremendo erro não tê-la incluído, pois nela sabemos o porquê Lou é do jeito que é: conformada com a vida que tem e com medo de se arriscar. Estou falando de uma cena que, quando desafiada por Will, ela adentra o labirinto do castelo e se vê desesperada, lembrando de um fato trágico do passado, o qual Will descobre e entende o porquê ela é assim, tão medrosa em se arriscar "para/com o novo". A cena é tão perfeita e intensa no livro e dá todo sentido para a trama. Eu me lamentarei sempre por isso, queria muito (muito mesmo) ter visto essa cena no filme.

4) Por último e não menos importante, senti falta da explicação que tem no livro, com o distanciamento entre os pais do Will. Afinal, o pai dele já mantinha um outro relacionamento, e a mãe dele era ciente disso, e com isso, apenas sustentavam uma situação não existente para dar apoio ao pós-tragédia.

Apesar de tudo, conseguiram inserir o necessário para deixar o filme perfeito: com seus momentos hilários e dramáticos, onde o espectador irá do céu ao inferno em questão de segundos, uma delicadeza sem igual. Preciso dizer que a fotografia do conteúdo é linda de se ver, com cenários e paisagens esplendidos, sem contar a trilha sonora que é de descompassar o coração, caindo perfeitamente nas cenas, deixando-as ainda mais lindas e entorpecedoras.

Para aqueles que acharam a adaptação "o mais do mesmo", digo: isso não é de todo mal, desde que a trama seja bem construída e consiga (em algum momento) tocar corações. Se ela não tocou o seu e o fez ter uma opinião negativa, saiba que a sua opinião também pode ser considerada "o mais do mesmo", eis o trocadilho de gostos. Por fim, para você que curte uma linda história, enveredada em superação, descobertas, tristeza e amor, segue essa magnífica pedida... "Como eu era antes de você"... Corre pro cinema, galera! S2 



Soundtrack Oficial do filme 
Banda: Imagine Dragons 
Canção: Not Today

10 comentários

  1. Apaixonadaaaaaaaaaaaa por essa postagem! Amei até as vírgulas que você usou. Concordoooo muuuuuuito! ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainnn, Iná! Que bom que você curtiu, tentei colocar da melhor forma o que senti com o filme. S2

      Beijosssssss

      Excluir
  2. Lindo lindo!!!!!!!!! Ansiosa por sábado para eu conferir de pertinho essa obra prima. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SIM, Dani! Depois me conta o que achou, ok?

      Beijossssss

      Excluir
  3. Eu li o livro e gostei. Muito bom, delicado e bem escrito....como a maioria das coisas da Jojo Moyes...eu prefiro muito mais "a garota que vc deixou para trás"..Esse eu AMO DE PAIXÃO. Agora como eu era antes de vc não me deixou tão abismada como muitas pessoas ficaram....Provavelmente não vou ver o filme, mas pelas imagens realmente parece que eles cairam como uma luva nos papéis
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu te entendo, Re! Apesar de eu gostar mais de "Como eu era antes de você", sou ciente que "A garota que você deixou para trás" tem um conteúdo melhor e até mais tocante. Amo de paixão tudo que a Jojo escreve. E se puder, confira o filme, pois vale muito a pena... Ao menos pra mim valeu. rs

      Beijosssssss

      Excluir
  4. Aaaaaaaaaaahhh, para tudo!!! Que isso?? Você usou alguma magia para transpor meus pensamentos??? Só pode 😄😄😄 sigo com a mesma opinião. A cena do labirinto foi a que eu mais senti falta. E, sim, sua crítica está perfeita, pois, de muitas adaptações que fazem sobre filmes, essa ficou perfeita. E, assim espero com Ugly Lopes, pois minha expectativa com esse filme está em nível máximo 😍😍😍😍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Nem me fale, Josy... Estou ansiosa por Ugly Love também, acho que é a segunda adaptação que mais aguardo, depois vem "A Voz do Arqueiro", que nem cogitaram para uma possível adaptação (deixa eu sonhar - rs). Fico feliz que você curtiu o meu parecer, mas fico ainda mais feliz de saber que você curtiu o filme. S2

      Beijosssss

      Excluir
  5. Oi Si kkk to aqui pensando se será que minha opinião é "mais do mesmo" kkk, mas se for eu não ligo rs.
    De qualquer forma achei lindo tudo o que descreveu, só lamentei não ver e sentir como você com o filme. Sim os lugares são lindos, sim os atores deram um banho de interpretação, mas não, para mim, foi apenas mais um filme comercial americano, pensado única e exclusivamente para vender na bilheteria e agradar o povo, mas não um filme para fazer alguém sentir de verdade algo com ele, pelo menos não sentir tudo o que o livro transmite.

    E senti falta de algumas coisas que disse e sobre os pais dele, senti mais falta ainda da mãe do Will do livro, afinal ela não é nada do que está no filme.
    Mas acontece, assim como nos livros, no filme cada um sente de uma forma. E para mim infelizmente não virou.

    Beijosssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainnn Fer, que pena que o filme não conseguiu te tocar da mesma forma que me tocou. E concordo com você especialmente na parte do drama, pois ele foi mesmo ofuscado, dando vez para a comédia em cenas. Mas isso, de certa forma, me enterneceu. Bom, eu AMEI e não mudaria nada no filme. S2

      Beijossssssss

      Excluir