23 de set de 2016

[Falando em]: Gênesis Proibido — de Marcelo de Lima Lessa

Eu avistei essa maravilha e desde então enlouqueci, pois já imaginava a grandiosidade do contexto, coisa que muito admiro. \o Afinal, criar um conteúdo onde o primeiro livro da Bíblia é pano de fundo, numa visão  diga-se de passagem  bem peculiar, não é para qualquer um. Eis que o autor Marcelo de Lima Lessa enviou-me este (Gênesis Proibido  A Tragédia de Adão e Lilith, livro 1) e também (Evangelho Perdido  A história oculta de Jesus, livro 2). P.S: Obrigada, Marcelo! Agora convido a todos para conferir a sinopse, book trailer e resenha de "Gênesis Proibido", uma publicação da editora "Alfabeto". 



Sinopse: Muitos conhecem a lenda dos anjos liderados por Lúcifer que se rebelaram e caíram por ciúme ao homem… Mas poucos sabem como foram os bastidores dessa guerra sangrenta! Muitos conhecem o mito da serpente que tentou a mulher e fez com que ela e o esposo perdessem o Éden… Mas poucos sabem quem foi e como viveu Lilith, a belíssima dama que precedeu Eva e arrebatou o coração de Adão! Muitos conhecem o odioso crime de Caim contra o jovem Abel… Mas poucos sabem quem foram Luluvah e Aclia, as irmãs gêmeas de ambos! Muitos conhecem a narrativa dos anjos que tomaram mulheres como esposas e nelas fecundaram uma raça híbrida de gigantes, os chamados “nefilins”… Mas poucos sabem como foi a lida de um querubim que enfrentou o próprio Inferno para tentar varrê-los da face da Terra! A VERDADE SOBRE O MAIOR ÉPICO DE AMOR DE TODOS OS TEMPOS É FINALMENTE REVELADA!




"Porque o pecado original foi desobedecer"






Ousado!
Contagiante!
Sensacional!


Aviso que essa leitura é para fortes! E se você for religioso demais, a ponto de enxergá-la como heresia, PARE POR AQUI! SIM, o autor usou como pano de fundo fatos bíblicos e criou um conteúdo bem questionador. Para quem está a fim de se enveredar numa magnífica leitura, eis essa excelente pedida. No entanto, entre nessa de cabeça aberta, enxergando-a como uma ficção/sobrenatural, o que de fato é. 

A história se inicia quando Deus anuncia que precisa se ausentar, deixando a todos, inclusive Lúcifer (o archote da luz primeira), deveras curioso. O Onipotente leva ao seu lado ninguém menos que Miguel (príncipe primeiro da ordem dos arcanjos), e este, por sua vez, passará a ser o protetor de uma das criações de Deus, ou seja, Adão (o primeiro ser humano nascido na Terra).

 Agora levanta-te homem! Levanta-te e tome o teu lugar de direito na Terra!
De repente aquele ser impactado no chão foi abrindo vagarosamente os olhos e, com invulgar esforço, começou a se erguer. E ainda sujo pelos resquícios do barro seco que o cobriam, finalmente conseguiu ficar em pé. 

 Porque surgiste da matéria untada deste canto benzido, te chamarei de Adão, pois vieste do sangue e do barro das quatro quinas desta grande gleba! (Livro: Gênesis Proibido, A Tragédia de Adão e Lilith  Pág.41)


Miguel se encarrega de entregar um recado a Deus, onde relata que Adão sente-se só e triste, mesmo desfrutando de tal paraíso (o jardim do Éden). Desta forma, o Onipotente cria Lilith, a primeira mulher na Terra, por quem Adão se apaixona perdidamente. E tal mulher é provida de muitos encantos, que será como um feitiço não só para Adão, mas SIM para tantos outros celestiais. 

Lúcifer, por sua vez, se enfurece ainda mais e inicia um novo plano para dar fim aos bonecos de barro. Ele desobedece a ordem de Deus, atravessando a fenda que o transporta para a Terra, onde presencia a criação que aos seus olhos é uma ofensa, deixando-o numa cólera além, batendo de frente com o Criador e influenciando tantos outros nessa revolta. Sendo assim, incita uma parte celestial para uma guerra, o que de fato acontece , e que, por fim, condena a Ele e tantos outros ao Inferno. 
E lá ficariam todos, perdidos e dispersos, até que seus corpos derrotados se acostumassem àquele excessivo calor que lhes impingia odiosa tormenta. Sim, "acostumaram-se", já que as marcas da ruína, ao menos no Inferno, talvez nunca mais lhe fossem retiradas. E o que outrora fora único, agora se partiu. O mal, até então recluso no íntimo de muitos anjos, florescera num cruel e agressivo campo de batalha. Céu e Inferno; fiéis e decaídos; luz e escuridão; Deus e Lúcifer... Quem, ao final, iria vencer esse terrível conflito? (Livro: Gênesis Proibido, A Tragédia de Adão e Lilith  Pág.80)
Lilith, um tanto ousada, bate de frente com Adão. Ela acaba caindo numa armadilha conduzida por Samael (príncipe substituto da casta em razão da queda de Beelzebu), que a seduz e desfruta com ela dos prazeres da carne. Ele se apaixona perdidamente por ela, e ao cometer tal desatino é castigado, tornando-se um anjo exilado. A partir daí muita coisa acontece... A primeira mulher, o primeiro homem e tantos outros são castigados por Deus, cada qual por seu pecado. Ainda assim, Deus resolve criar uma segunda mulher, essa menos sedutora e inteligente, a quem destina Adão a se dedicar e procriar, o que acontece aos poucos, pois diferente da primeira mulher  Virago, tempos depois conhecida por Eva , é desprovida de muitos atributos. Eis que os pecados tornam-se maiores, e até mesmo Adão e Eva transgridem as ordens de Deus, tendo, por fim, um terrível castigo.
 E agora condeno a Terra, que de paraíso passará a ser passagem, e cujas benesses até então graciosas só poderão ser retiradas com esforço e suor! E se ambos não a trabalharem, padecerão pela fome e mais cedo retornando ao solo, pois dele vieram e nele igualmente perecerão! (Livro: Gênesis Proibido, A Tragédia de Adão e Lilith  Pág.213)
Agora cesso os meus comentários para não soltar spoilers.

Eu nem sei como me expressar sobre essa leitura, e isso é um excelente sinal, pois indica o quão profundo me tocou, afinal, o que contei acima é pouco perto da grandiosidade que o texto apresenta. O que foi citado é uma pequena (e importante) parte da trama, que leva consigo uma proporção maior de acontecimentos, com uma infinidade de personagens tão importantes quanto os protagonistas, além de cenários significativos. O autor contou de forma minuciosa sua versão do primeiro livro da Bíblia, onde usou como pano de fundo fatos e personagens bíblicos, e também acrescentou tantas outras coisas. Acredito que para fervorosos religiosos, esse texto seja uma afronta. Diferente do que eu senti com essa espetacular leitura, pois desde o início a enxerguei assim, ou seja, como ficção. 

Quem me conhece bem sabe que sinto enorme dificuldade com textos detalhados e que apresentam muitos personagens. Porém, o que aconteceu aqui foi o oposto, eu me senti íntima de tudo, e fiquei entorpecida com tal narrativa (detalha na medida certa), sem contar os personagens...! Eu, particularmente, tenho um pé na capirotagem, e por este motivo, Lúcifer e Lilith tornaram-se os meus prediletos. Contudo, me compadeci por Adão e tantos outros, e até mesmo Noé (SIM, temos Noé e sua arca!) deixou-me num emaranhado de sentimentos. E o final, minha nossa senhora, eu quase tive um treco... Sou grata ao Marcelo por ter me enviado o livro 2, pois estou ansiosa e já imaginando o que me aguarda em "Evangelho Perdido  A história oculta de Jesus". 

O livro é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos mais rebuscados, algo que caiu com perfeição no texto, deixando-o ainda mais atrativo; sua diagramação é simples, com fontes e espaçamentos em excelentes medidas, adornados em papel pólen (o amarelinho); e sua capa é bem bonita e atrativa, condizendo com o que a trama apresenta. Vocês querem saber se eu gostei? NÃO, EU NÃO GOSTEI... EU AMEI! E digo mais, agora me tornei fã do autor e leria até mesmo a sua lista de compras. \o A propósito, avaliei a obra no Skoob apenas com 5 estrelas, pois é o máximo em avaliação que a plataforma permite, mas se pudesse, qualificaria com uma constelação de estrelas. Por fim, se você curte uma MARAVILHOSA e ousada leitura, vem junto... Entregue-se ao pecado! S2


Livro: Gênesis Proibido  A Tragédia de Adão e Lilith (2º edição)
Autor: Marcelo de Lima Lessa
Gênero: Misticismo/Angelologia
Editora: Alfabeto
Ano: 2015
Páginas: 448

17 de set de 2016

[Entre Amigos]: Alex, Johnny e Lucius

De tanto imaginar, resolvi colocar tal situação em palavras. Pois bem, eis os três protagonistas principais que criei, em pleno sabadão e tomando umas... Alex (Entre o Céu e o Inferno), Johnny (Dezesseis, A Estrada da Morte) e Lucius (Redenção). Lembrando que trata-se apenas de uma brincadeira com três personagens de enredos diferentes que criei.

††† 

 Lucius, eu avisei para não trazê-lo.  resmungou Alex  Minha paciência esgotou-se, prefiro retornar ao meu trágico passado do que ter que aguentar tanta impulsividade.  ela pegou o pequeno copo que estava sobre a mesa e o encheu de tequila. 

Os ânimos se alteraram, o diabo já não mais suportava estar diante daqueles desprezíveis bonecos de barro. Enquanto isso Johnny aproximou-se de Alex, encostando o seu corpo ao dela e presenteando-a com sua tão conhecida piscadela. 

 Relaxa, Alessandra!  tirou o pequeno copo da mão de Alex e deu um único gole na tequila  E brow, não liga pro que ela fala. Logo mais o céu dela chega aí...  Johnny deu um leve tapa no ombro direito de Lúcifer. 

Lucius lamentou-se por ter tirado férias de Tenebris. Em verdade, preferia até mesmo ser chicoteado pelo Onipotente, e por pouco não cometeu um desatino, presenteando Johnny com o néctar da providência. 

 Diabos mundanos! Da minha lâmina provarão, e em meu reino permanecerão.  proferiu Lúcifer.

14 de set de 2016

[Divulgação]: Pôster e trailer de "Cinquenta Tons Mais Escuros"

Foram divulgados o pôster e trailer oficial de "Cinquenta Tons Mais Escuros", segundo filme da trilogia best-seller "Cinquenta Tons de Cinza", da autora E. L. James.

Não é novidade que a trilogia não só foi (como ainda é) um sucesso de leitores/espectadores. Eu, particularmente, gostei muito mais do trabalho feito no filme 1 do que no primeiro livro, pois achei de extremo bom gosto e com a sensualidade na medida certa, sem ser esdrúxula. Contudo, o primeiro filme teve a direção de Sam Taylor- Wood, que bateu de frente com a autora E. L. James no roteiro/filmagens, e, por fim, foi deixada de fora no roteiro/filmagens do segundo filme. 

Agora quem está na linha de frente é ninguém menos que a autora da trilogia, e só pelo que pude ver no pôster e no trailer, já fiquei deveras entusiasmada. Afinal, dos três este é o livro que eu mais AMO, com um enredo cativante e algumas reviravoltas. E posso dizer... Que máximo ver a ex-submissa do Grey, o chefe da Ana, além da Mr. Robinson no trailer. Apaixonei! S2. Confiram o trailer legendado abaixo:




✔  O lançamento mundial de "Cinquenta Tons Mais Escuros"
 será em Fevereiro de 2017

11 de set de 2016

✔ Falando em florescer...

"Quando eu flor 
Quando tu flores 
E ele flor 
Nós flores seremos 
E o mundo florescerá..." 


Via facebook: Vozes do Brasil

6 de set de 2016

Bienal do Livro de SP vive crise de identidade e precisa repensar formato

Eu encontrei esse artigo sobre a 24ª Bienal pela rede e achei de grande valia repostá-lo aqui. Afinal de contas, ele expressa tudo o que penso a respeito. Vem conferir:

------------ xxx ------------ 

Qual é o principal objeto da Bienal Internacional do Livro de São Paulo? Ser um lugar onde os expositores vão para vender produtos direto para o público final? Ser um lugar onde os expositores vão para vender livros com descontos? Para passar adiante seus encalhes, uma espécie de saldão? Para mostrar suas novidades e dialogar com os consumidores? Ser um lugar onde leitores podem encontrar, conversar e pegar autógrafos de seus autores favoritos? Um espaço para a discussão de ideias a respeito do livro e do universo que o cerca? Um evento que ponha jovens em contato com obras que, mais tarde, podem levá-las a consumir algo digno de se chamar de literatura? A Bienal é um evento primordialmente cultural ou essencialmente comercial? 

A 24ª edição do evento chega ao final neste domingo passando por uma crise de identidade e precisando buscar respostas a essas perguntas para que a Bienal do Livro de São Paulo volte a ter o destaque e a importância que já teve em outros tempos nem tão distantes assim. Se optar pelo caminho puramente mercadológico, de ser um lugar onde as pessoas vão apenas para comprar livros, deverá definhar rapidamente. Em uma época de promoções constantes na internet, não faz muito sentido alguém ir até o Anhembi para fazer algo que pode ser feito de casa, apenas com alguns cliques  ou em qualquer livraria, em qualquer época do ano. 

Se optar pela via da relevância cultural  a que mais me agrada, vale deixar claro , precisa repensar boa parte de suas atrações. Ao se apostar em padres e youtubers o evento realmente contribui para a formação de leitores e para que os jovens criem uma relação de alguma intimidade com os livros? Ou quem compra o livro da Kéfera, por exemplo, o faz somente por ser fã da garota e vê no produto o mesmo valor que veria em algo como um tapete com o rosto da celebridade? A função de uma Bienal do Livro é a de permitir que um fã tenha a oportunidade de ver seu ídolo, mesmo que o livro em questão seja no máximo uma desculpa, não a verdadeira razão para aquela pessoa estar ali? 

Claro que as duas vias  a mercadológica e a cultural  podem conviver com alguma harmonia, desde que principalmente a primeira respeite a segunda. A aposta em autores de literatura fantástica e chick lit, por exemplo, também com algum espaço no evento, mostram que é possível trabalhar com atrações que atraem um bom público cativado pelo universo construído em livros, não por razões alheias. 

A meu ver, o futuro da Bienal passa, necessariamente, por voltar a prestar atenção no conteúdo dos livros, não encará-lo simplesmente como um objeto, um mero produto.

Por: Blog Página Cinco
Via: UOL Entretenimento