22 de jan de 2018

[Divulgando]: VIOLET — de Giuliana Sperandio

Olá, lovers!
Hoje trago uma linda notícia, a divulgação de "VIOLET", o primogênito da blogueira/autora Giuliana Sperandio, que sempre contribuiu com a literatura nacional em seu blogue  Clube do Livro e Amigos. O livro será publicado ainda esse ano, pela editora The Books. Eu perguntei para a autora, mas ela não soube me informar quando será o lançamento: se no primeiro ou segundo semestre de 2018. Independente da data, adianto que estou louca para conferir. Quem me conhece sabe que sou de dramas e romance, e só com a sinopse e a capa fiquei instigada. A propósito, essa capa está muito bonita, colorida e com um ar de mistério. À Giuliana desejo êxito. Confiram a sinopse e um quote da obra abaixo. E QUE VENHA VIOLET!!! 💘💘💘



Sinopse: Ela só queria fugir do seu passado e recomeçar uma nova vida. Os ventos do destino a levaram para o coração de uma cidadezinha pitoresca chamada Holambra, onde a esperança tem cheiro de flores. Ele é um viúvo que perdeu o seu grande amor, vivia apenas por sua filha e tinha perdido a fé em recomeços. Duas histórias que se encontram, dois corações marcados por dores. Seriam eles capazes de enxergar os planos do destino para suas vidas? O perdão é a chave, a esperança é a porta. Será que eles estariam prontos para atravessa-lá juntos? 




**E aí, curtiram?!
Eu, particularmente, AMEI! 💘💘💘

20 de jan de 2018

[E-BOOK]: DEZESSEIS - A ESTRADA DA MORTE

Ele chegou! DEZESSEIS: A ESTRADA DA MORTE está à venda em formato digital, reestruturado e com nova revisão, além de um linda diagramação. O livro está com preço acessível e se você for assinante do Kindle Unlimited, não paga nada. Caso você não tenha o aparelho Kindle para a leitura, siga as instruções abaixo para começar a ler GRATUITAMENTE no seu smartphone, tablet ou computador. ADQUIRA. AVALIE. COMPARTILHE


**Bem-vindos à estrada da morte! 😎📖

✔ Para adquirir o e-book, clique AQUI.
✔ Para download do aplicativo gratuito, clique AQUI.

17 de jan de 2018

💘💘💘 Das séries que amei... 💘💘💘

Eis uma série de livros que está guardada do lado esquerdo do peito. 💘💘💘 Estou falando da série "ELEMENTOS", escrita por uma das autoras que passou a fazer parte dos meus prediletos/as. o/ Quem me conhece sabe que sou de dramas  e, por tal motivo, não poderia deixar de expressar  a minha paixão. Brittainy C. Cherry é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. Quando não está escrevendo, adora brincar com seus bichinhos de estimação. Ela mora com a família em Milwaukee, Wisconsin. A autora esteve aqui no Brasil em Dezembro de 2017, numa disputada sessão de autógrafos. Eu não pude comparecer devido a problemas pessoais. Abaixo deixarei quatro quotes (junto ao link da resenha), cada qual de um livro da série. Caso não consiga ler os quotes, e só clicar nas imagens para maior resolução. 💘💘💘





✔ Para conferir a resenha, clique AQUI.





✔ Para conferir a resenha, clique AQUI.




✔ Para conferir a resenha, clique AQUI.




✔ Para conferir a resenha, clique AQUI.

16 de jan de 2018

O meu problema é que sou intensa demais…

Para alguns isso tudo é drama, para outros é frescura, tem os que acham que eu só quero chamar atenção. Tem gente que nem se importa, não tá nem aí. Mas a verdade é que eu sou feita de excesso. Em excesso. 

Nasci assim, com umas células extras de intensidade no corpo. Sou oito ou oitenta, tudo ou nada, agora ou nunca. Se eu amo alguém, é dilaceradamente, com todo o meu coração. Mas se odeio alguém, é na mesma intensidade e fica estampado na cara a minha falta de simpatia. Quando eu estou feliz, é exageradamente, não consigo nem conter o sorriso que fica preso de orelha a orelha, mas se estou triste é com o mesmo exagero e aí eu choro como se o mundo fosse se desfazer. 

Eu sou tempestade, terremoto, furacão, então não me peça pra ser calmaria, garoa, sol de fim de tarde, porque eu não vou conseguir. Não aprendi a ser meio termo. Mais ou menos. Café com leite. Não consigo sentir nada em conta gotas, sabe? De pouquinho em pouquinho. Se eu sinto, é sempre muito, sempre grande. Não me pede pra engolir o que quer sair de mim, nem pra ignorar o que eu sou. Não me peça pra ser menos, porque eu só sei ser mais. Sou mais alma e coração do que corpo, e mesmo que muita gente não entenda isso, eu gosto de ser assim. 

É claro que viver transbordando o tempo todo tem o seu lado ruim. Às vezes a gente se machuca feio, quebramos a cara com tudo no chão, às vezes sangra um bocado dentro da gente e demora um tempão pra estancar. Às vezes a gente dá tudo o que tem e mais um pouco, porque não conseguimos fazer absolutamente nada pela metade, e não recebemos na mesma proporção. E aí parece que a dor dobra, se multiplica, aumenta. Mas sabe o lado bom disso? É que apesar de ser horrível no começo, quando passa, não sobra nada. Fica vazio, sem nenhuma marca, nenhuma cicatriz. Porque ser intenso é isso. 

Ser intenso é ter coragem de cair de cabeça mesmo sem ter certeza se lá embaixo vai ter alguém para nos apoiar. É ter pressa pra fazer dar certo e, vez ou outra, se dar conta de que o certo era o errado. É viver com frio na barriga, como se fosse sempre a primeira vez de tudo. É incendiar, pegar fogo, causar estragos. É não ter medo de gritar, de arriscar, de tentar. É não ter medo de viver. E fazer isso como se o mundo fosse acabar amanhã, afinal, hoje pode mesmo ser o nosso último dia, então que tenha muito drama, muita frescura, muita tentativa de chamar atenção. E que a gente chame! 

Eu quero ir embora com a certeza de que eu fiz tudo o que eu podia, de que eu tentei tudo, de que eu lutei por tudo e, principalmente, que aproveitei tudo. Mesmo que esse tudo, em alguns momentos, seja triste e solitário. Dizem que o meu problema é que sou intensa demais, exagerada demais, mas quer saber? Melhor ser assim, do que ser oca e sem graça. 

[Por]: Gabriela Freitas 
[Via]: ASTROBR

15 de jan de 2018

[CRÔNICA]: O REI E O MENSAGEIRO

Um Rei mandava cortar a cabeça dos mensageiros que lhe davam más notícias. Desta forma, um processo de seleção se estabeleceu: os inábeis foram sendo progressivamente eliminados, até que restou apenas um mensageiro no país. Tratava-se, como é fácil de imaginar, de um homem que dominava espantosamente bem a arte de dar más notícias. Seu filho morreu  dizia a uma mãe, e a mulher punha-se a entoar cânticos de júbilo: Aleluia, Senhor! Sua casa incendiou,  dizia a um viúvo, que prorrompia em aplausos frenéticos. Ao Rei, o mensageiro anunciou sucessivas derrotas militares, epidemias de peste, catástrofes naturais, destruição de colheitas, miséria e fome; surpreso consigo mesmo, o Rei ouvia sorrindo tais novas. Tão satisfeito ficou com o mensageiro, que o nomeou seu porta-voz oficial. Nesta importante posição, o mensageiro não tardou a granjear a simpatia e o afeto do público. Paralelamente, crescia o ódio contra o monarca; uma rebelião popular acabou por destituí-lo, e o antigo mensageiro foi coroado ReiA primeira coisa que fez, ao assumir o governo, foi mandar executar todos os candidatos a mensageiro. A começar por aqueles que dominavam a arte de dar más notícias.


[Por]: Moacyr Scliar 
[Via]: As Melhores Crônicas do Brasil