28 de ago de 2016

[Dicas de leitura]: 5 livros do gênero YA

Olá, amores! Tudo bem?
Espero que sim!
Bom, atualmente estou betando dois livros nacionais que, infelizmente, não poderei resenhar. Afinal, eles ainda estão sem casa editorial. E por este motivo, resolvi fazer essa postagem, já que faz um tempinho que não trago uma resenha de livro. Contudo, as 5 dicas que deixarei abaixo, são de enredos YA, ou seja, Young Adult (jovem adulto no português). Os livros deste gênero sucedem a adolescência, porém, podem abordar também o mundo adulto. A propósito, quatro dessas indicações foram resenhadas por mim. É claro que com Dezesseis, que é de minha autoria, deixarei o link de uma resenha feita por outro blog, ou melhor dizendo, de um blog parceiro. Portanto, se vocês (assim como eu), gostam de se enveredar num conteúdo de abordagem jovem... Vem junto conferir essas MARAVILHOSAS dicas! S2

(clique em cima da imagem para maior resolução)

 Clique no título do livro para ser direcionado à resenha:

DA OBSERVAÇÃO — POR MÁRIO QUINTANA


Não te irrites, por mais que te fizerem... 
Estuda, a frio, o coração alheio. 
Farás, assim, do mal que eles te querem, 
Teu mais amável e sutil recreio... 

>>> Por  Mário Quintana <<<

24 de ago de 2016

A Decisão de Escrever Um Livro

Você já parou para pensar em quantas decisões já tomou que ajudaram a definir quem você é e onde está hoje? 

Nos diversos campos da sua vida  pessoal, familiar, social, profissional e espiritual  sempre haverá uma decisão a tomar que influenciará em como as coisas vão se manifestar no futuro. 

A verdade é que o que você é agora foi construído com base nas decisões de ontem. Das menores, algumas imperceptíveis, até as gigantes, verdadeiras encruzilhadas da estrada da vida, você é o que decidiu ser e fazer. 

A escolha sobre em que se formar, com quem namorar e casar, com o que trabalhar são exemplos claros de grandes decisões. 

Então, pense por um instante: 

Que decisão você pode tomar agora que pode mudar seu destino positivamente? 

Você pode voltar a estudar, fazer um curso para se aprimorar, ler um livro, praticar um esporte, perdoar alguém, se empenhar na busca do autoconhecimento, parar de fumar, poupar dinheiro, enfim… Com certeza existem infinitas possibilidades para mudar quem será amanhã. 

Você também pode decidir ter um filho, plantar uma árvore ou… escrever um livro. No entanto, ao tomar qualquer decisão, você coloca na balança duas questões, muitas vezes de forma inconsciente: 

1. Mudar dói 
Nosso cérebro adora uma rotina, fazer as mesmas coisas sempre, comer nos mesmos lugares, seguir os mesmos caminhos. O motivo disto é que mudanças exigem mais processamento, geram mais sinapses e o novo, calcado em incertezas, costuma gerar estresse mental. Sim, mudar estressa. 

A solução? Agarre-se a três ou quatro certezas decorrentes da mudança. Antes de tomar a decisão, procure fazer uma lista do que é provável e do que é possível que aconteça. Avalie as vantagens e desvantagens, os prós e os contras. Visualize e medite sobre as probabilidades e possibilidades positivas.  

2. Continuar como está dá prazer 
No fundo, muita gente gosta de deixar ficar como está. Pode ser por pura preguiça ou por não querer mesmo. Novamente, você cai em uma armadilha cerebral causada pela sensação de satisfação do presente. O que você precisa compreender é que o sacrifício e o esforço que acontecem no período da mudança são temporários. 

A mudança só é possível com disciplina e determinação e estas são duas palavras que muita gente associa com a falta de prazer. 

A solução? Enxergue um prazer maior adiante. Conscientize-se e enfurne em sua cabeça que a recompensa vale a pena. Visualizar os lados positivos da mudança ajudam bastante. 

Para transformar sua vida, você precisa se decidir e a melhor forma de fazer isto é se distanciar da decisão, avaliá-la sob os auspícios do coração e da razão e colocar paixão e intuição na hora H. 

OK, Eldes. O que isto tem a ver com escrever um livro? 

Tudo! 

Para escrever e publicar um livro, você precisa estar com seu “Poder de Decisão” no máximo.

Vamos supor que você decida que esta é a hora de colocar suas histórias ou experiências e publicar um livro. 

Seu cérebro começa uma ladainha de discursos negativos: 

 Não tenho tempo para isto. 
 Não tenho dinheiro para isto. 
 Não tenho método ou processo. 
 Sou desorganizado e procrastino. 
 Não sei escrever direito. 
 Não sei por onde começar. 
 Não tenho ideais bacanas. 
 Tenho bloqueios criativos. 
 Isto não vai dar certo comigo. 
 Ninguém se interessa pelo que escrevo ou só eu posso ler o que escrevo. 
 Nenhuma editora vai querer me publicar. 
 Meu Deus! E se for um sucesso? (Sim, muita gente tem medo de dar certo). 

20 de ago de 2016

Sobre o cultivo e a revelação da música...

"Milhares de pessoas cultivam a música; poucas 
porém têm a revelação dessa grande arte." 
(Ludwig van Beethoven)

O que esperar de Lúcifer quando ele anseia por uma Santa?

Trata-se de um romance sobrenatural, onde Lucius Oliver (ou Lúcifer se preferir), resolve tirar umas férias no mundo dos bonecos de barro, ou seja, na Terra. Contudo, ele não contava com o improvável: que se apaixonaria por uma humana. Porém, muito antes disso ele desejou arduamente uma outra humana... Humana essa que tornou-se uma Santa. Desta forma, o capítulo 19 de Redenção é com Lucius narrando um pouquinho dessa experiência. O que esperar de Lúcifer quando ele anseia por uma Santa? 

P.S: Trecho sem revisão. Capa provisória.

★ ★ 

 Não serás minha e de nenhum outro.  balbuciei ao lado do seu corpo, quando desfrutava com calmaria de mais uma noite de sono  A propósito, nem mesmo a Cristo servirás.  beijei-a com carinho na testa, partindo em seguida. 

O Cônsul revoltou-se e enlouqueceu, e sem medir esforços, acusou Águeda de bruxaria, fazendo com que o Imperador da época, Trajanus Décius, que era um grande perseguidor de cristãos, a submetesse a diversos interrogatórios, forçando-a renegar sua inabalável fé, o que de fato não aconteceu. 

 Nãooooo...  eu sofri ao escutar seus gritos de dor, no momento que estava sendo torturada. 

Ela foi colocada em um calabouço, e por diversas vezes sofreu torturas inumanas: foi açoitada, marcada com ferros, dentre tantas outras coisas terríveis. Eu, por minha vez, continuava influenciando a tantos, inclusive Quinciano e Trajanus, que eram almas desgraçadas e fáceis de persuadir. 

 A maldade não deixa escapar aquele que a comete.  Águeda citou mais um trecho Bíblico encarando-me, enquanto eu assistia a sua tortura invisivelmente aos olhos humanos. 

Os meus demônios internos se remoíam de forma intensa, deixando-me dançando sobre cacos de vidro, numa valsa infernal, sofrendo junto a ela. Por um ínfimo instante, pensei em cessar com minha maldade. Mas não havia mais tempo. Numa fúria exacerbada, Quinciano mandou arrancar os seios daquela que já estava sendo considerada Santa, jogando-a em seguida no calabouço, sem qualquer cuidado. Eu continuei ao seu lado invisivelmente, sofrendo por não ter a sua atenção e também por sua dor. 

(Livro: Redenção, Cap.19) 

★ ★ 

P.S: O livro ainda está sendo escrito, sem previsão de conclusão e publicação.