2 de mar de 2016

[Falando em]: Dois Mundos — de Simone O. Marques

Eu sempre tive curiosidade de ler um texto da Simone O. Marques. A propósito, tenho costume de ficar em off', apenas observado o que existe no mundo literário, foi quando me deparei com algumas resenhas e quotes de seus trabalhos, o que de fato instigou-me. Portanto,  confiram a sinopse e resenha de "Dois Mundos", uma publicação da editora Butterfly.



Sinopse: Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo... Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo de mortais e deuses, a jovem liberta antigas divindades. E dois domínios distintos estão prestes a colidir quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade. 




"Porque ser o receptáculo pode ser assustador..."






Mágico! 
Encantador! 
Sensacional!

Não sei se vou me expressar direito, pois sou acostumada a ler outro gênero, mais especificamente drama/romance. No entanto, eis a afirmativa: sair da zona de conforto pode ser muito prazeroso. Pois bem, agora terei outros olhos para enredos do gênero fantasia.  

Trata-se de uma distopia fantástica, onde o personagem central é Marina (um avatar/deusa), que foi destinada a salvar o mundo... Ela tem que ser treinada para ser o receptáculo que receberá três deusas. Contudo, aos treze anos, quando descobre isso, não aceita o seu destino, deixando de receber o devido treinamento. Ela mora em uma reserva particular com o pai, as irmãs, os druidas e também com os 'guerreiros de Dana' (esse é o seu nome como deusa), que são guerreiros destinados à protegê-la.

Mas, então, aconteceu o que acredito ser o pior momento da minha vida até hoje; O chão estremeceu quando aquele exército se aproximou da fazenda. Era formado por pessoas que acreditavam que sua fé estava por um fio, que seu deus estava sendo desafiado e que Marina era a reapresentação do anticristo e por isso precisava ser destruída. Eles vieram para matá-la, talvez queimá-la, como a Inquisição fez por tantos séculos. Eram tantos... E eu cheguei a pensar que estaria tudo perdido, para todos nós. (Livro: Dois Mundos, Pág.11)
O mundo está destruído e todos vivem de forma reclusa, deparando-se com coisas estranhas. Porém, todos já estão habituados com tamanha estranheza, e passam o dia reclusa e atentamente tentando sobreviver. As pessoas que conseguem ter um pouco mais de conforto e segurança são aquelas que têm algum poder, digo financeiramente ou com ofícios importantes, mesmo que isso não faça mais sentido, afinal, eis um mundo destruído.

Marina agora tem dezessete anos e vive em lugar chamado "Fazenda Tribo de Dana", onde é rodeada e respeitada por todos, especialmente pela proteção de Brian, que é nada menos que o seu "Sombra" (o guardião particular), que fica o tempo todo vigiando-a, o que a deixa furiosa, pois até os treze anos, quando tudo aconteceu, ela desfrutara de uma vida normal e com liberdade. Muitas vezes ela bate de frente com ele, que por sua vez, a observa com outros olhos. Afinal, ela é a deusa Dana e todos (até mesmo ele), deve enxergá-la com respeito e sequer pode cogitar qualquer outro tipo de sentimento que não seja proteção, respeito e reverência. Eis que com sua teimosia, ela discorda das orientações de Brian, e ambos caem em um outro mundo, levando ao lado dos dois outro guardião (amigo de Brian), chamado Artur.
 Acho que nossa prioridade é procurar o caminho de casa.  Brian falou determinado.
Marina não disse nada, mas, para ela, a prioridade agora era encontrar o tal tesouro e não correr o risco de que seu sonho tornasse realidade.


Os três ficaram em silêncio por um tempo, só ouvindo o som forte da chuva e observando o gotejar nas poças que se formavam no chão de terra, que agora era um verdadeiro lamaçal.


 Brian...  Marina o olhou com os olhos brilhando.  Obrigada por retirar o veneno...  falou e encostou a cabeça no ombro dele, segurando em seu braço. Brian ficou vermelho e sorriu, mas viu o olhar de Artur o alertando mais uma vez para o perigo daquela aproximação, o que não conseguiu acalmar seu coração disparado. (Livro: Dois Mundos, Páginas 115 e 116)


Ela teve um sonho onde foi revelado o terrível futuro de todos, inclusive parte de sua família que sobreviveu, o que guarda para si e acaba não revelando aos dois guardiões que a acompanha. Neste sonho, ainda no outro mundo, ela tem que procurar por um tesouro que será a salvação de todos. Desta forma, segue contra as orientações de Brian. No entanto, durante as tantas aventuras que os três passam para sobreviver e mesmo destreinada, ela passa a seguir com sua intuição, descobrindo coisas e alertando tantas outras. O tempo passa e cada vez mais ela fica íntima dos seus dois acompanhantes, é claro que com Brian de forma mais intensa, pois se sente atraída por ele, o que faz com que eles tenham uma conexão mais verdadeira e proibida.

 A jovem é apenas um casulo. E não vai impedir que a Deusa se manifeste quando precisar. Espero que entenda isso quando o casulo tiver que se romper de vez, Brian. Não coloque em risco sua lealdade a Dana por causa de uma garota bonita e quebradiça  o deus ferreiro disse e se virou saindo do salão. (Livro: Dois Mundos, Pág.194)
Além de tudo que Marina está passando, há outro contratempo... Ela tem constantes sonhos intercalados onde fala com Pedro, que transparece ser um humano qualquer, mas na verdade Ele é um oráculo. Aliás, por uma vez (anos atrás), no meio de toda conturbação, ambos estiveram frente a frente. Paulo, que assim como todos, vive de forma reclusa é avisado em um dos sonhos que Marina está em grande risco. Desta forma, sai às pressas e a procura dela. E nessa procura ele se depara com Liban, que é uma garota/mulher tão especial e importante quanto ele. Agora cesso os comentários para não soltar spoilers.

Eu realmente vou tentar me expressar da melhor forma, pois fiquei deveras entorpecida. Foi uma leitura que me prendeu do início ao fim, me teletransportando para dentro do enredo, e por vezes peguei-me afoita para saber como seguiria o enredo, com uma trama envolvente e bem amarrada, além de adornada com muitas aventuras. A autora soube conduzir a história de forma magistral, o que me fez ter certeza do quão entendedora do assunto és, pois só uma pessoa que entende do assunto conduziria o enredo da forma que foi conduzida. Eu torci para que os três (Marina, Brian e Artur), conseguissem escapar dos contratempos, e por todo tempo me encantei com a relação de proteção entre Brian e Marina. Os capítulos finais foram de perder o fôlego e deixou-me ainda mais conectada com a história. E o fim, pelo amor dos deuses... Fez-me questionar como a autora fez aquilo, deixando-me numa baita expectativa para sua continuação. Eu simplesmente AMEI! E desde já, afirmo:  Eu leio até mesmo a lista de compras da Simone... Sou sua mais nova fã. \o 

O enredo é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação está perfeita, com espaçamentos e fontes na medida certa, envolta em papel pólen (o amarelinho), levando a cada início de capítulo a imagem de uma floresta sombria, além do lindo mapa que encontramos antes mesmo de iniciar a leitura; sua capa é divina, estampando Marina defronte àquele mundo que tanto insisti se distanciar. Por fim, para quem curte uma trama muito bem escrita e desenvolvida, entorpecedoramente deliciosa de ser ler, eis uma magnífica pedida. \o/\o/\o/ 


Livro: Dois Mundos, Tesouros da Tribo de Dana #Livro1
Autora: Simone O. Marques
Gênero: Fantasia/Romance
Editora: Butterfly
Ano: 2016
Páginas: 256

2 comentários

  1. Que linda resenha! Fico muito feliz que tenha gostado, saído da zona de conforto e descoberto minha história de fantasia! <3
    E pode esperar que vem mais aventura em Fadas e Druidas. =)
    Beijos e obrigada pelo carinho com que tratou minha obra.
    Sucesso pra você, minha xará querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simone,

      Foi um prazer sair da minha zona de conforto. Agora estou em frangalhos, querendo saber o que se passa com a quarta onda. Espero que você publique logo a continuação. E, por fim, PARABÉNS! É um enredo fodástico de sensacional. Tornei-me sua mais nova fã. \o

      Beijosssssss

      Excluir