11 de jul de 2016

[Falando em]: O BGA, O Bom Gigante Amigo — de Roald Dahl

Eis mais uma linda história infanto-juvenil. Aliás, este enredo ganhou o meu coração por completo, pois além de me entreter, me deixou numa baita ressaca literária. 

Dias atrás resenhei um clássico que fez parte da minha infância e que tanto amo, ou seja, "A Fantástica Fábrica de Chocolate" (para conferir a resenha, clique AQUI). Agora apresento-lhes a sinopse, trailer do filme que acabou de ser adaptado pela Disney e resenha de "O Bom Gigante Amigo", obra de Roald Dahl, uma reimpressão de 2011 pela Editora 34.


Sinopse: Quando a pequena Sofia foi raptada em seu quarto, no meio da noite, por um estranho gigante, ela pensou que estava perdida. Os gigantes, como sabemos, gostam de comer carne humana!  Mas, para sorte dela, aquele era o BGA: o Bom Gigante Amigo que passa seu tempo caçando e distribuindo sonhos para as pessoas enquanto elas dormem. Os dois, então, bolam um plano para impedir que os monstruosos gigantes do mal, como o Comecarnecrua e o Esmagamão, destruam a humanidade. Para isso, vão ter que contar com a ajuda da Rainha da Inglaterra, do Exército e até da força Aérea. Será que Sofia e o BGA vão conseguir?


"Porque o que importa é o tamanho do coração" 





Envolvente! 
Mágico! 
Sensacional!

Sofia é uma garota de 8 anos, que vive em um orfanato ao lado de outras 10 garotas. Contudo, em uma das noites que deveria estar dormindo, é raptada por um gigante e levada para a deserta e longínqua Terra dos Gigantes. Assustada, ela acha que terá o mesmo destino de tantas outras crianças (e adultos), ou seja, ser devorada pelo gigante que a sequestrou. Porém, descobre que ele é um gigante de bom coração e desprovido de qualquer maldade  o Bom Gigante Amigo (ou BGA), como ela passa a chamá-lo, começa a nutrir apego pela garota, que, por fim, fica tão íntima quanto, ambos envoltos numa amizade verdadeira.
 Tá vendo?  perguntou o BGA.
Sofia apertou os olhos por causa da luz do sol e pôde ver diversas criaturas enormes andando no meio das rochas, a cerca de quinhentos metros de distância. Três ou quatro estavam sentados.

 Aqui é a Terra dos Gigantes  disse o BGA.  Aqueles lá é tudo gigante. (Livro: O Bom Gigante Amigo, Pág.43)

O que Sofia não contava é que o Bom Gigante Amigo era o menor dos gigantes (com apenas 8 metros de altura), e os verdadeiros vilões da história, aqueles que vagam madruga adentro caçando suas presas, eram os maus gigantes, que tinham o dobro de altura. Desta forma, o BGA protege a garota dos gigantes vilões, ficando ainda mais íntimo da menina, numa amizade 'mais que verdadeira'. De início Sofia se vê confusa, pois o seu novo amigo fala as palavras de forma errada. Mas com o tempo ela percebe que a maneira que ela fala é pelo fato de nunca ter frequentado uma escola. Entretanto, mesmo falando palavras erradas, o BGA é um homem de muito conhecimento e sabedoria.
 Os serumanos gosta de fazer regras a favor deles mesmos  continuou o BGA.  Mas as regras que eles faz não ajuda nem um pouco a vida dos leitãozinho. Correto ou torto? 
 Correto  concordou Sofia. 

 Gigantes também faz regras. As regras deles não é boas pros serumanos. O caso é que todo mundo só gosta de fazer regras boas pra ele mesmo. (Livro: O Bom Gigante Amigo, Pag.106)


E dentre o curto prazo de tempo que passam juntos, Sofia e o Bom Gigante Amigo seguem com ensinamentos que vão além das palavras e do coração. Assim, ansiando pelo bem de todos, inclusive das vítimas de todas as noites, a garota consegue convencer o seu novo amigo a seguir ao seu lado numa digníssima batalha, onde os gigantes maus terão que ser capturados, isso tudo com a ajuda da Rainha da Inglaterra.
Durante a meia hora seguinte, tudo se passou de modo tão suave e silencioso que Sofia, dentro da orelha do gigante, não conseguia saber exatamente o que estava acontecendo. Percorreram diversas ruas. Havia casas por todos os lados, e às vezes passavam por alguma loja.  As ruas eram iluminadas, pessoas passavam para cá e para lá, carros circulavam com os faróis acesos, mas ninguém se dava conta da presença do BGA. (Livro: O Bom Gigante Amigo, Páginas 186 e 187)
Agora cesso os meus comentários para não soltar spoilers.

Se antes eu era apaixonada por "A Fantástica Fábrica de Chocolate", agora afirmo: "O Bom Gigante Amigo" passou a ser o número 1. S2 Eu consegui me envolver de tal forma com este enredo, que me senti como uma criança de 37 anos. SIM, o autor consegue isso de forma magistral, deixou-me encantada por todo conteúdo, que além de carregar muitas aventuras, passou uma grande lição de sabedoria, algo que eu não tinha visto com o Sr. Wonka e sua fantástica fábrica de chocolate. 

Eu me apaixonei pela doçura e coragem da Sofia, mas o que realmente me encantou foi a simplicidade e bondade do BGA, e por diversas vezes tive vontade de entrar nas páginas e abraçá-lo com força. Este é um enredo MARAVILHOSO, que qualquer pessoa (criança ou adulto) corre o risco de se envolver e se emocionar... Um conteúdo mágico e de fundo refletivo, onde nos mostra que a aparência não é nada perto do que temos dentro do coração. Alguns podem sentir dificuldade durante a leitura, devido ao fato de o Bom Gigante Amigo falar de forma errada. Porém, a meu ver, foi muito divertido, e depois de algum tempo até me acostumei. Se eu gostei dessa história? NÃO, EU NÃO GOSTEI... EU MEGA, ULTRA, MAX AMEI! S2 E apenas para afirmar: Eu leria até mesmo a lista de compras de Dahl. \o

O enredo é narrado em terceira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão;  a diagramação está em fontes de maior tamanho e excelente espaçamento, envolta em papel offset (o branquinho), com ilustrações de Quentin Blake, o que deixou a leitura mais linda; e sua capa estampa uma das lindas ilustrações de Blake, que remete o leitor ainda mais para dentro da história. Por fim, para você que curte um mágico e lindo enredo, eis essa excelente pedida. P.S: Agora vou ficar aqui (em frangalhos), aguardando a adaptação para as telonas. \o


Livro: O BGA  O Bom Gigante Amigo
Autor: Roald Dahl
Gênero: Infanto-Juvenil
Editora 34
Ano: 2011 (reimpressão)
Páginas: 288

8 comentários

  1. QUE RESENHA MARAVILHOSA! <3 De boca aberta aqui hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia o livro, Iná! (...) E assista o filme também. É uma lindeza sem tamanho! S2

      Beijossssss

      Excluir
  2. Parece bom hein, Simone? Há muito que não leio um infanto-juvenil, fiquei com vontade de ler esse. Sua resenha, muito bem escrita, instiga o leitor curioso a conhecer essa obra que parece trazer algumas boas mensagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ad, então se enverede neste enredo. É mais que magnífico! S2 Vai por mim. E fico feliz que você curtiu a resenha. \o/

      Beijosssssss

      Excluir
  3. Amei sua resenha, Si. Já tinha vontade de ler. Agora vou arrumar um jeito de deixar os outros 45739202749 livros para depois desse! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, fure a fila com este. É sensacional! Uma lindeza que só!!! S2

      Beijosssss

      Excluir
  4. Muito legal... o autor é verdadeiramente um fantástico contador de estórias, os seus livros são clássicos!!!! E sua resenha passa toda essa magia!!! Parabénsss!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Aldo! São clássicos lindos de se apreciar. Eu, particularmente, sou muito fã de Dahl. S2

      Beijossssss

      Excluir