23 de jul de 2016

[Falando em]: Dançando sobre cacos de vidro — de KA HANCOCK

Deixa eu respirar fundo antes de iniciar essa resenha! Afinal, eu tinha certeza que me estilhaçaria com este livro. Pois bem, a última leitura que me deixou desta forma foi "O Caçador de Pipas". Porém, essa leitura ultrapassou até mesmo o que eu havia sentido com a obra de Hosseini. Trata-se de um drama/romance onde o amor supera a dor, uma história que me fez dançar sobre cacos de vidro do início ao fim. Ainda estou em pranto! Para sempre dilacerada! Porém, MUITO FELIZ de ler uma MARAVILHA como essa. Cinco estrelas é pouco. Eu daria uma constelação. Agora confira a sinopse e resenha de "Dançando sobre cacos de vidro", obra de KA HANCOCK, uma publicação da editora Arqueiro


Sinopse: Lucy Houston e Mickey Chandler não deveriam se apaixonar. Os dois sofrem de doenças genéticas: Lucy tem um histórico familiar de câncer de mama muito agressivo e Mickey, um grave transtorno bipolar. No entanto, quando seus caminhos se cruzam, é impossível negar a atração entre eles. Contrariando toda a lógica que indicava que sua história não teria futuro, eles se casam e firmam  por escrito  um compromisso para fazer o relacionamento dar certo. Mickey promete tomar os remédios. Lucy promete não culpá-lo pelas coisas que ele não pode controlar. Mickey será sempre honesto. Lucy será paciente. Como em qualquer relação, eles têm dias bons e dias ruins  alguns terríveis. Depois que Lucy quase perde uma batalha contra o câncer, eles criam mais uma regra: nunca terão filhos, para não passar adiante sua herança genética. Porém, em seu 11° aniversário de casamento, durante uma consulta de rotina, Lucy é surpreendida com uma notícia extraordinária, quase um milagre, que vai mudar tudo o que ela e Mickey haviam planejado. De uma hora para outra todas as regras são jogadas pela janela e eles terão que redescobrir o verdadeiro significado do amor. Dançando sobre cacos de vidro é a história de um amor inspirador que supera todos os obstáculos para se tornar possível.


"Porque amar é superar a dor" 

Verossímil! 
Dilacerante! 
Extraordinário!


Lucy conhece Mickey na comemoração dos seus 21 anos, ao lado das irmãs (Lily e Priscilla), e também de alguns amigos. A propósito, Mickey (ou Mic, como é conhecido), é 8 anos mais velho que ela, além de ser dono do barzinho onde acontece o festejo. Inicialmente é Priscilla (a irmã mais velha), que marca território mostrando certo interesse por Mic. Contudo, assim que os olhares de Lucy e Mickey se cruzam, o improvável acontece: ela, uma jovem com um histórico familiar de câncer de mama bem agressivo; ele, um homem que sofre com um grave transtorno bipolar. Contudo, isso não os impedem de se entregarem ao amor. 
 Como vai ser a minha vida se eu me casar com ele? 
O médico de Mickey me estudou por um instante e respirou fundo.  Lucy, todo casamento é uma dança: complicada às vezes, maravilhosa em outras. Na maior parte do tempo não acontece nada de extraordinário. Com Mickey, porém, haverá momentos em que vocês dançarão sobre cacos de vidro. Haverá sofrimento. Nesse caso, ou você fugirá ou aguentará firme até o pior passar. (Livro: Dançando Sobre Cacos de Vidro, Cap.9)

E mesmo contradizendo a todos, eles resolvem se unir matrimonialmente. Assim, vez ou outra, passam pelo pior: seja pela loucura insana de Mic, que de tão intensa o faz ficar internado por dias, ingerindo doses cavalares de remédio e tentando encontrar algum vestígio de lucidez; seja pelo histórico familiar de Lucy, que se faz presente. Com isso, ambos resolvem elaborar um contrato com inúmeras cláusulas, sendo uma destas: não ter filhos. Afinal, quem em tais condições colocaria um filho no mundo? Porém, anos depois, o improvável acontece  e mesmo Lucy fazendo uma ligadura de trompas, ela engravida, o que de fato todos enxergam como um milagre. No entanto, ainda no início da gestação, o câncer de Lucy volta à tona, assim como mais uma terrífica crise de Mike. 
Era como se o mundo todo, todos os desígnios, me fosse explicado numa fração de segundo, e não só compreendi, mas tive a vaga sensação de sempre ter sabido. E entendi que nada disso faria diferença. Nenhuma das medidas tomadas para salvar minha vida realmente a salvaria. Não dessa vez. Quando a emoção ameaçava me dominar, a sabedoria do meu pai veio à tona para mantê-la sob controle. A morte não é o fim, Lulu, e, se você não tiver medo, pode vigiá-la e estar preparada... (Livro: Dançando Sobre Cacos de Vidro, Cap.16)
Ainda na infância, Lucy tivera uma conversa sobre a morte com o pai, da qual leva como lição. E foi em um dos seus piores momentos, quando estava prestes a abortar o milagre que carrega no ventre, que fica de frente com a velha companheira, ou seja, a morte, mostrando-lhe de que desta vez não há escapatória. Assim, ela fica contra todos (inclusive o seu médico, a sua família e o seu marido), e luta até o fim pelo grande milagre que carrega no ventre. 
Como se temesse me machucar, Mickey fez amor comigo de um jeito lento, cálido, incrivelmente terno. Arrasada em meu corpo dolorido e nada receptiva, a princípio me senti uma estranha sob as mãos dele. Mas quanto mais ele me tocava, mais eu superava a dor e a revolta até me perder nos sentidos, nada mais. Ele acariciou meu seio marcado de cicatrizes de maneira tão indulgente e com tamanha delicadeza preguiçosa que acredito que nunca, em tantos anos de sexo apaixonado, respondi tão completamente. Foi a coisa mais pura que já experimentei, e eu não queria que acabasse. Nossos corpos cumpriram a tarefa que lhes cabia, mas foram nossas almas que se uniram. Ambos choramos o tempo todo e nos apegamos ao momento. Quando terminou, nos demos conta de que provavelmente havia sido a última vez. (Livro: Dançando Sobre Cacos de Vidro, Cap.25)
Agora cesso os meus comentários para não soltar spoilers

Pode parecer que já revelei tudo da trama, mas o que eu disse não é nem a metade do que essa SENSACIONAL história carrega consigo. Todos as histórias me encantam, porém há exclusividade naquelas que tocam o meu coração. Eu tive que parar a leitura deste livro por diversas vezes, pois sentia necessidade de desanuviar —, e quando eu conseguia voltar a respirar, algo novo e mais dilacerante me fazia perder o chão, tamanha realidade, sentimentos e carga dramática que o enredo apresenta... Uma infinidade de sentimentos adversos que me deixou dançando sobre cacos de vidros a todo instante.

Lucy e Mic me fez enxergar que o amor é uma entrega total. Eu queria entrar nas páginas e poder consolá-los; eu queria poder fazer algo por eles; senti vontade de ser Deus e mudar tudo que eles passaram desde o início. Entretanto, ao fim da leitura, tive a certeza de que foi a loucura e a dor que os uniu no indubitável amor. Não poderia ser diferente. Ler este livro foi como ver o meu passado, pois assim como Lucy, sou uma paciente em remissão, que teme a doença em silêncio. Deve ser por isso que a leitura se tornou tão especial pra mim. S2

A autora soube construir um enredo cheio de coração, onde até mesmo os antagonistas são de suma importância, cada qual com suas particularidades e dores. Eu ME APAIXONEI por todos, sem exceção. Essa é uma história de entrega total, seja na família, em amizades e principalmente no amor de um homem para/com uma mulher. Uma busca incessante pelo milagre que, por fim, se torna real. É uma leitura esmagadora e altruísta, que leva consigo uma linda mensagem e grandes ensinamentos. ESPETACULAR define a dimensão deste conteúdo, e se você (assim como eu), gosta de ser tocado no âmago, eis essa DIVINA dica. A propósito, a autora tem especialização em psiquiatria e longa experiência profissional com pacientes psiquiátricos e dependentes químicos. Desta forma, constatei de onde ela encontrou tanta realidade no contexto. Leia! Você não vai se arrepender! Agora me encontro numa baita ressaca literária. \o 

O enredo é narrado em primeira pessoa, com narrativa e diálogos de fácil compreensão; a diagramação é simples, com espaçamentos e fontes em excelentes medidas; e sua capa é divina, estampando Mic e o seu grande milagre de mãos dadas. Por fim: Prepare o coração! Compre uma caixa de lenços de papel e cai dentro! Se eu gostei? NÃO, EU NÃO GOSTEI... EU AMEI! E leria até mesmo a lista de compras da KA HANCOCK. S2


Livro: Dançando sobre cacos de vidros
Autora: Ka Hancock
Gênero: Drama/Romance
Editora: Arqueiro
Ano: 2013
Páginas: 329

2 comentários

  1. Aiiii não sei se quero ler... Já estou chutando umas das coisas que acontece e não tenho psicologico para isso.
    Si que resenha maravilhoa como sempre. Precisa me contar mais pelo zap;

    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fer, esse livro é dilacerante! Mas vale muito a pena lê-lo, pois leva uma mensagem sensacional consigo. Vou te contar SIM!

      Beijosssss

      Excluir